Até onde vai a incompetência da Prefeitura de SP na gestão do Credenciamento do TEG?

Listao TEG
clique para ampliar

A lista de condutores escolares que foi disponibilizada para as escolas contém milhares de condutores escolares cadastrados, dificultando totalmente o processo de seleção pelos pais ou responsáveis.

A Prefeitura de São Paulo deveria ter tido o cuidado de limitar o número de escolas a serem escolhidas por cada condutor no ato do cadastro no seu portal, no link de agendamento de entrega do envelope da documentação do Credenciamento.

Ao contrário, não havia limitação no número de escolas por cada condutor ou empresa, e muitos, por erro ou esperteza, selecionaram todas as escolas da cidade ou todas as escolas da mesma DRE.

O que se tem agora é uma lista que poderia ter um número reduzido de condutores por escola e agora tem um número absurdo que dificulta até mesmo o processo de seleção do condutor escolar pelos pais ou responsáveis, conforme previsto no Edital.

Em algumas escolas, a falta de informação é tanta que a diretoria, num vislumbre de isonomia e justiça, entendeu que deveria distribuir os alunos em número igual para todos os condutores disponíveis na listagem.

Em muitas escolas, o número de condutores chega a ser maior que o número de alunos que tem direito ao transporte escolar gratuito.

O engodo que a Prefeitura criou fazendo valer uma nova ficha de autorização é apenas uma tentativa de buscar fazer agora a coisa certa, pois antes havia limitado o acesso dos pais e responsáveis a assinar o termo de autorização anterior somente com os condutores da primeira listagem publicada em 12 de janeiro.

Listagem essa de 12 de janeiro que, diga-se de passagem, foi publicada com um erro grotesco, em que trazia todos os CRM´s existentes para o mesmo CNPJ no banco de dados do DTP, a maioria deles já cancelados. E no dia seguinte (13) uma nova listagem teve que ser publicada omitindo-se o CRM e informando apenas o nome do condutor ou empresa e o CPF/CNPJ.

A segunda listagem saiu no dia 15 de janeiro e sequer chegou a ser enviada para as escolas, que somente estavam orientadas a atender os condutores que sairam na primeira listagem de 12 de janeiro.

Neste meio tempo o Tribunal de Contas suspendeu o Credenciamento por uma semana, isso mesmo, por uma semana apenas.

E, ainda assim, até hoje, a gestão medíocre da Prefeitura de São Paulo não conseguiu concluir o processo de Credenciamento que iniciou em 20 de novembro. E não consegue concluir de uma forma organizada.

É muita incompetência para uma gestão de uma grande metrópole nacional. Não estamos falando aqui de uma cidadezinha pequena do interior do Estado de São Paulo ou de outro Estado do Brasil.

Como esperar que o condutor abaixo atenda as 143 escolas que ele se cadastrou? Como ele vai atender? Para quê o nome dele vai constar em todas as listas destas escolas apenas para complicar o processo de escolha?

1_Claudio
clique para ampliar
2_Claudio
clique para ampliar
3_Claudio
clique para ampliar
4_Claudio
clique para ampliar

E este é apenas um dos inúmeros casos para os quais a lista de condutores publicada pela Prefeitura está repleta.

Vejam na foto desta matéria que constam mais de 25 mil condutores autônomos cadastrados na lista de Pessoa Física, nas listas de Pessoa Jurídica constam mais de 95 mil nomes de condutores para as EMEF´s e EMEI´s.

Culpa do condutor que escolheu errado no ato do cadastro? Ou culpa da gestão municipal que não previu isso e não limitou o número de escolas por cada condutor no seu sistema de agendamento?

E haja Carnaval para tanta bagunça!

Por Antonio Félix