Condutores de SP agendam reunião sobre o TEG neste sábado (13) na Câmara Municipal

Reuniao Camara
clique para ampliar e baixar

A reunião acontecerá no próximo sábado, dia 13 de fevereiro, no térreo da Câmara Municipal de São Paulo, no Viaduto Jacareí, nº 100.

Durante a reunião será discutido o Credenciamento do Transporte Escolar Gratuito (TEG) da cidade de São Paulo.

Estarão presentes as lideranças do transporte escolar de várias regiões da cidade, os presidentes das Associações de Transporte Escolar, Cooperativas de Transporte Escolar, empresas de transporte escolar e condutores autônomos.

O pedido de comparecimento se estende tanto aos condutores do TEG quanto aos condutores particulares, que também sofrerão os efeitos do Credenciamento.

Deste grande encontrão devem sair idéias e o planejamento do que será feito na próxima semana na cidade, seja a título de busca de apoio político, seja principalmente com relação à realização manifestações nas ruas ou órgãos municipais.

Em toda a cidade são aproximadamente 12 mil condutores regularizados trabalhando, sendo 2 mil no TEG e 10 mil no particular. Caso o Credenciamento da Prefeitura entre em vigor, haverá prejuízos a todos sem exceção.

Com a decisão favorável do Tribunal de Contas pela reabertura do Credenciamento, sem que tenham sido analisados todos os processos de solicitação de impugnação do Edital, é provável que aquele órgão seja um dos escolhidos em caso de manifestação.

Certeza mesmo é que o foco das manifestações estarão concentrados na sede da Prefeitura, e também na Secretaria Municipal de Educação (SME) e Secretaria Municipal de Transportes (SMT).

Com a organização das lideranças que vem sendo realizadas desde a última manifestação do dia 21 de janeiro, bem como a maior aproximação de entidades representativas do transporte escolar, engajados na luta pelo mesmo objetivo que é a derrubada do Credenciamento imposto pela Prefeitura em condições irreais e que bagunçará o transporte escolar da cidade, a tendência é que uma nova manifestação nas ruas de São Paulo seja inúmeras vezes maior que a última, quando fecharam o Viaduto do Chá e a Avenida 23 de Maio.

Por Antonio Félix