Como ficará o Credenciamento do TEG após a reunião de hoje (19) e a demissão de Daniel Telles

DTP na cova

Na reunião de ontem (18) entre o Prefeito e SME, SMT, DTP e PRODAM, foi definida a substituição do diretor do DTP, saindo Daniel Telles e entrando o novo diretor, Roberto Brederode.

Segundo relatos, Daniel Telles era uma pessoa difícil de lidar e em várias ocasiões já bateu na mesa em que esteve resolvendo assuntos com os condutores escolares e outras categorias.

Roberto Brederode Sihler, de sobrenomes difíceis, porém pernambucano que reside há muitos anos no Estado de São Paulo, mais especificamente na cidade de Campinas, onde trabalhou por vários anos na EMDEC (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), nas funções de Gerente e posteriormente Diretor do Departamento de Infra Estrutura, possuindo perfil mais técnico e menos político que Daniel Telles.

Apesar de engenheiro ambiental formado, tem atuado por vários anos em cargos de gestão relacionados à área de transportes em gestões petistas das quais é militante, possuindo vários artigos publicados nesta área, inclusive atuou em estudo técnico sobre a implantação de ciclovias da cidade de Campinas, além de estudo sobre o uso de combustíveis alternativos na rede de ônibus coletivos de passageiros.

O novo diretor está buscando entender todos os problemas da categoria, onde foi definido que será feito uma listagem de todos os problemas do Credenciamento, desde a parte de remuneração até a parte de operacionalização da demanda, inclusive sobre a questão de possibilitar o transporte do TEG e particular no mesmo veículo.

Na próxima semana, essa mesma comissão dos condutores vai sentar com SME e DTP para começar a discussão e resolução destes problemas.

A comissão é formada pelo vereador Abou Anni e pelos condutores Jorge Formiga, Lauro, Toninho, Merquinha e Reginaldo.

Ainda não há uma data definida para essa reunião, que ainda será organizada de acordo com a agenda do novo diretor do DTP e da SME na próxima semana.

Segundo informações do Prefeito Haddad, não é possível a suspensão do Credenciamento, na forma que os condutores escolares pediram que fosse suspenso e renovados os contratos emergenciais até que sejam sanados todos os problemas apontados.

Os contratos emergenciais que são de crianças PNE do CIEJA e Conveniadas, renovarão o contrato emergencial de forma imediata, em função da necessidade de determinação de uma nova tabela e forma de operacionalização destes casos mais complicados.

O novo diretor recebeu muito bem a comissão hoje, pediu desculpas porque nem assumiu o cargo oficialmente ainda, pois não saiu ainda no DO, e pediu um prazo até a próxima semana, em que vai sentar com a SME e analisar todos os questionamentos e levantamentos feitos pelos condutores escolares acerca dos erros no Credenciamento. Informou ainda que há erros que só a SME saberá apontar os dados e analisar com maior precisão.

O novo diretor assumiu que realmente o Credenciamento tem erros, e que o Secretário de Transportes Jilmar Tatto passou para ele a obrigação de continuar com o Credenciamento, mas com a orientação de abrir um canal de diálogo com os condutores escolares, para ajustar tudo o que for apontado como incorreção que impossibilita a sua operacionalização.

A SME deverá mandar e-mail ainda hoje à tarde orientando as DREs para que enviem comunicado a todos os condutores que tiverem contratos emergenciais dos CIEJAs e Conveniadas, vencidos ou não, que deverão transportar as crianças já a partir de segunda feira.

Os contratos emergenciais vencidos dos CIEJAs e Conveniadas serão renovados normalmente e até o seu vencimento deverão migrar para o Credenciamento, quando os critérios tiverem sido definidos. Estes contratos receberão na mesma forma de remuneração do contrato emergencial antigo até lá.

Quanto às demais questões, como por exemplo os contratos mistos, em que existem viagens especiais (PNE) em EMEF e EMEI juntamente com crianças convencionais, deverão ser tratadas individualmente pela SME a partir da próxima semana.

Porém, até o momento, não conseguimos identificar de nenhuma liderança ou dos órgãos municipais como fica a questão da demanda, pois quais crianças valerão a partir de agora, as do contrato emergencial antigo e que foram transportadas até o final do ano passado, ou as fichas de autorização assinadas agora em 2016 por uma, duas ou mais vezes no vai e volta do Credenciamento e do modelo de fichas?

Nesse vai e volta, muitos condutores escolares mudaram de escola, até o ano passado transportavam para uma escola e se credenciaram em nova escola no Credenciamento. Alguns dos condutores dos antigos contratos emergenciais também não se cadastraram no Credenciamento, sendo que outros novos que não eram do emergencial se cadastraram mas ainda não podem começar pois não tem contratos e isso ainda será discutido, e esses tem fichas assinadas e demanda de crianças a ser analisada e iniciada ou não.

Nesse vai e volta, muitos condutores escolares também conseguiram ficha de demanda assinada em uma escola com a primeira ficha e primeira lista divulgada, e depois da mudança da ficha e da nova lista publicada somente conseguiram assinatura de fichas de demanda em outra escola. Vale essa última? Seria a lógica. E a demanda do ano passado que não foi escolhida por nenhum condutor, quem faz?

Isso ninguém respondeu ainda, apenas informaram que vão sentar e conversar, e que todos devem voltar a transportar na segunda-feira. Mas transportar quem e pra onde?

Pelo visto, o Vai e Volta ainda vai e volta algumas vezes até que se resolva todo o Carnaval que foi feito.

Nossa sugestão é que sejam consideradas as demandas antigas até que sejam discutidos e sanados os problemas do Credenciamento, ou seja, voltam os condutores escolares fazendo as mesmas escolas e crianças que faziam no ano passado, e que para as novas crianças que surgiram agora em nova concessão do transporte escolar gratuito concedido pelas DRE´s sejam direcionados ao condutor escolar de atuação do trajeto onde a criança reside, em caso de haver disponibilidade no veículo, ou em caso de não havendo, seja repassado para aquele condutor que transportar em trajeto mais próximo dessa residência.

Isso pode resolver mais rápido o problema das crianças que estão sem transporte, até que sejam discutidos os pontos do Credenciamento, entre os quais inclusive a questão da operacionalização falha que houve quanto à distribuição de demanda e escolha pelos pais. Em menos de um mês caso não haja muito impasse nas negociações, se resolve isso com novos critérios definidos.

E por último, desejamos ao novo diretor boa sorte e serenidade, bem como sabendo de seu apreço por leitura e publicação de artigos, que leia este Portal com frequência, pois aqui encontrará muita informação sobre a categoria, e no qual também já fizemos muitas denúncias e análises sobre os itens do Credenciamento.

Por Antonio Félix