Merenda comida…companhia desfeita! Estudantes continuam ocupação da Assembléia de SP (ALESP)

Como você fica quando seu amigo come o seu lanche e lhe deixa com fome no recreio? Pior ainda quando não é seu amigo ou alguém que rouba-lhe à força, ou mesmo sem uso da força mas com artifícios maliciosos. De uma forma ou de outra, você ficou com fome (e fome de justiça).

E como você se sente quando este seu amigo, ou inimigo, não é punido por deixar-lhe com fome? Ou se além de deixar-lhe com fome, este mesmo amigo (ou inimigo) houvesse tentado fazê-lo mudar de “casa” sem o seu consentimento, sem consultá-lo antecipadamente (reorganização escolar).

É esse o sentimento dos estudantes que, vencida a batalha contra a reorganização escolar do Governo de São Paulo, se mobilizam agora contra o descaso da situação da merenda.

A mobilização fez a ocupação na tarde de ontem(3) do plenário Juscelino Kubitschek da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), na zona sul da capital paulista.

Esta ocupação obrigou o presidente da ALESP, deputado Fernando Capez, um dos nomes envolvidos no escândalo da merenda, a decretar ponto facultativo dos funcionários.

Segundo Capez, sua opção não usar a força policial para retirar os alunos do prédio se dá porque já entrou com pedido de reintegração de posse, cuja execução deve se dar na tarde de hoje (4).

Os estudantes mantêm a ocupação do plenário e exigem dos deputados a instauração de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a fraude na merenda escolar no estado. Os estudantes prometem permanecer no local até que a CPI seja instaurada.

“Vamos tomar providências para recuperar os espaços que são da população e onde devem se realizar as votações de projetos. Temos quatro projetos importantes na pauta deste semestre e eu já havia acertado o ritmo das votações, mas a invasão interrompeu isso”, diz Capez.

Com o isolamento do prédio, todos os estudantes que saírem não entrarão mais. A estratégia é chamada por Capez de saturação. Além disso, está proibida a entrada de comida no prédio. Os estudantes podem apenas beber água e usar os banheiros.

Vários veículos de comunicação noticiaram a algumas semanas que o plenário da Assembléia estaria discutindo assuntos de baixa expressividade e os adiantando na pauta, como forma de não colocar o assunto da CPI para discussão e votação.

Como os estudantes protestam pela falta de merenda na escola, pelo visto a estratégia do governo continua a mesma, deixando-os sem comida ou sem acesso à ela.

O uso dos bebedouros para beber água e dos banheiros para as necessidades fisiológicas, já era apenas o que muitos estudantes tinham nas escolas. Nada mudou! A merenda? Alguém comeu!

Por Antonio Félix
Com informações de EBC Brasil