O que esperar de Washington Reis, novo presidente da Comissão de Viação e Transportes

O condutor escolar dirige sua van e olha para o horizonte… Nele vê nuvens negras se formando…

A Comissão de Viação e Transportes agora conta com a presidência de Washington Reis (PMDB/RJ), do mesmo partido de Leonardo Quintão (PMDB-MG), sendo ambos envolvidos em encontros com Eduardo Cunha (PMDB), conforme relatado abaixo, e com probabilidade do vice-presidente Michel Temer (PMDB/SP), vir a assumir.

O deputado Washington Reis (PMDB-RJ) foi eleito nesta terça-feira (3) para presidir a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados em 2016.

Washington Reis ressaltou que está no sexto ano como integrante da comissão e pretende “contribuir como presidente para ajudar a vencer os gargalos dos transportes, principalmente o rodoviário”, e destacou que a comissão terá o desafio de combater a recessão, já que o setor de transportes é um importante gerador de empregos no País.

A Comissão de Viação e Transportes analisa todos os projetos de lei envolvendo a circulação de passageiros e de cargas, dentro e fora das cidades, por via terrestre, aérea e aquática.

Em 2015, os deputados da comissão aprovaram 136 projetos e rejeitaram outros 23. A presidente da comissão em 2015 foi a deputada Clarissa Garotinho (PR-RJ), quando aprovou penas mais rigorosas para o motorista que provocar morte ao dirigir sob o efeito de álcool ou drogas.

Outra proposta, o Projeto de Lei 7057/10, do deputado Hugo Leal (Pros-RJ), obriga as empresas de transporte interestadual a tirar de circulação os ônibus que completarem dez anos de utilização.

Também foi aprovado o substitutivo do Deputado Aureo (SD-RJ) à proposta que isenta do pagamento de pedágio em via federal os veículos de duas rodas, o Projeto de Lei 1410/11, do deputado Washington Reis.

O novo presidente, Whashington Reis (PMDB/RJ), esteve envolvido em denúncias de participação em esquema de fraudes em licitações, com expedição de mandado de busca e apreensão em sua casa, por parte da Polícia Federal, em agosto de 2014.

O deputado responde a uma ação no STF por crime ambiental e é investigado em inquéritos que apuram supostos crimes eleitorais e lavagem de dinheiro. Em um dos casos, uma testemunha acusa Reis, então prefeito de Duque de Caxias, de ter usado maquinário da Prefeitura para realizar obras de asfaltamento e saneamento em um condomínio particular, com o objetivo de angariar votos na campanha eleitoral de 2008, quando era candidato à reeleição.

Segundo denúncias publicadas na Revista Veja, o apartamento do deputado Washington Reis em Brasília foi palco de um assombroso encontro no final de outubro de 2015. De acordo com o relato de um dos presentes, o líder do PMDB, Eduardo Cunha, teve uma conversa dura com o presidente do Instituto Brasileiro de Mineração, Fernando Coura, sobre o projeto do novo Código de Mineração.

Pelo que foi dito neste encontro, há um grupo de deputados com milhões de razões para se interessar pelo projeto do Novo Código de Mineração. Tendo ao lado Leonardo Quintão (PMDB/MG), que é relator do projeto, Cunha ameaçou fazer ele mesmo o relatório se as conversas não chegassem a bom termo. Eduardo Cunha confirma a reunião, mas nega de forma veemente o teor do relato: “Não tenho histórico de atuar dessa maneira”, disse.

Para quem não lembra, o deputado Leonardo Quintão (PMDB/MG) é um dos articuladores do projeto de padronização das especificações técnicas dos veículos escolares na Câmara dos Deputados.

Juntemos no mesmo prato os políticos do PMDB: Whashington Reis (PMDB/RJ, como presidente da Comissão de Viação e Transportes), Leonardo Quintão (PMDB/MG e articulador da especificação técnica ABNT nos veículos escolares), Eduardo Cunha (PMDB/RJ e Presidente da Câmara) e Michel Temer (PMDB/SP e provável presidente da República), e sabe-se lá o que virá para o setor de trânsito e transportes, e entre eles o transporte escolar.

O condutor escolar dirige sua van e olha para o horizonte… Nele vê nuvens negras se formando, se virá tempestade ou não, dependerá de sua resiliência em agir contra os efeitos da natureza, ou desta natureza.

Por Antonio Félix
Com informações de Câmara Notícias, O Globo e Veja