Após reclamação dos condutores, Prefeitura de SP agiliza pagamento do TEG. E este mês, vai atrasar de novo?

Ao consultar a previsão de pagamento na última sexta-feira (06), muitos condutores escolares sequer visualizavam o lançamento da programação do pagamento no sistema da Prefeitura de São Paulo. Ao fazer nova consulta hoje (09) muitos verificam que o pagamento está previsto para cair até o final do dia.

Muitos que também não apareciam programados no dia 06 de maio, agora estão programados para serem liberados na conta corrente no dia 12 de maio.

Na última sexta feita (06), em análise feita por nosso portal, mediante consulta ao CPF/CNPJ  da lista de credenciados (lista de habilitados publicada no portal da prefeitura) constatamos que em torno de 55% dos condutores escolares não tinha nem previsão de quando iriam receber o pagamento.

O problema maior estava nos pagamentos das empresas e cooperativas, pois ao que tudo indica a Prefeitura prioriza o pagamento primeiramente para os condutores escolares autônomos, que representam metade dos prestadores de serviços. Para estes, o pagamento de 80% deles foi feito entre os dias 04 e 06 de maio.

Pelo que observamos, o problema está nas DRE´s (Diretoria Regional de Ensino), vez que tivemos conhecimento de DRE que enviou a documentação apenas na quinta-feira (05), ou seja, foram enviados os demonstrativos e notas fiscais ao financeiro do DTP.

Isso também pode ser observado quando se verifica o pagamento dos condutores escolares autônomos antes dos condutores escolares de empresas/cooperativas, vez que as DRE´s liberaram o demonstrativo de pagamento dos autônomos antes das empresas/cooperativas.

Ainda que a Prefeitura tenha resolvido boa parte do problema, há muitos ainda sem previsão de pagamento. E há casos até de condutores que ainda aguardam o envio do demonstrativo, que dirá o pagamento.

Há casos isolados bem mais graves de condutores escolares que reclamam de pagamento não recebido ainda do mês de fevereiro. Em outros casos, alguns cobram diferenças de valores não pagos também de fevereiro, cujo ajuste deveria ter sido lançado neste pagamento de março, e não houve acerto.

Na pressa em receber, os condutores escolares estão assinando sem aguardar a correção de eventuais erros de lançamento, postergando o acerto para o mês seguinte e, não é surpresa que em meio à desorganização, o ajuste não tenha sido realizado, restando-lhe apenas receber o que tem previsto, e reclamar novamente.

Assim, embora resolvido parte do problema, a Prefeitura ainda tem um longo caminho para se organizar e efetuar o pagamento em dia. O atraso de um mês influencia no mês seguinte, e hoje (quase 10º dia do mês) já deveria estar saindo o demonstrativo do mês de abril nas DRE´s, enquanto estas ainda estão batendo cabeça em liberar o pagamento do mês anterior.

Ou a Prefeitura promove uma força-tarefa para regularizar o trâmite dos documentos nas DRE´s, ou então será quase certo um novo atraso neste mês.

Em resumo, com toda agilidade que o financeiro do DTP possa fazer na hora de liberar os pagamentos, tal qual ocorreu ao fazer cair hoje (09) pagamentos que sequer estavam lançados até o meio-dia de sexta-feira (06), se os demonstrativos assinados e notas fiscais não forem entregues até o dia 20 de maio, será difícil a liberação dos pagamentos no último dia útil do mês.

A Prefeitura agora tem o desafio de organizar os processos nas DRE´s e fazer a liberação dos demonstrativos ainda esta semana, até o dia 13 de maio.

Cabe agora aos condutores escolares pressionar a DRE a que possui vinculação, para que faça a liberação de seu demonstrativo até esta data (13), ou se preparar para um novo atraso no seu pagamento, e mais uma “abocanhada” de juros em seu orçamento financeiro

Os condutores escolares encontram-se com nervos à flor da pele em função da demora no acerto do processo de Credenciamento. Se já não estavam “apaixonados” pela gestão municipal em função da alteração do valor que recebiam e dos novos critérios, com os atrasos de pagamentos que isso vem causando, estão quase a deflagrar novas manifestações.

Ou essa “DR” entre condutores escolares e Prefeitura muda de rumo, ou a assinatura do divórcio já tem data certa para acontecer em outubro deste ano. Hoje estão, digamos, vivendo na mesma casa em quartos separados. Que mudança de postura ou afago acontecerá até outubro que será capaz de melhorar essa relação, não se sabe ainda, pois só um milagre poderá resolver.

Por Antonio Félix