Servidores do Detran de SP entram em greve nesta segunda-feira (20)

A paralisação não afeta o atendimento ao público nos postos do Detran, mas o prazo para conclusão de serviços pode atrasar.

Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran) iniciaram uma paralisação na manhã desta segunda-feira (20) nas unidades de todo o estado. Eles reivindicam reajuste salarial de 26,3%.

Em comunicado aos servidores, a Associação dos Empregados Públicos do Detran/SP e o Sindicato da Carreira Administrativa do Estado de São Paulo de (SindCaesp) chamam os trabalhadores para a greve.

Apesar da greve, o Detran informa que as unidades estão operando normalmente nesta segunda, já que o atendimento ao público é feito por funcionários terceirizados.

A paralisação é feita apenas pelos funcionários públicos. No entanto, os servidores devem manter pelo menos 30% do efetivo trabalhando em todos os setores.

Mesmo o atendimento inicial ao público não ter sido afetado, os prazos para a conclusão do serviço, como emissão de documentos, podem ser ampliados por causa da paralisação.

Os servidores são responsáveis pela emissão da CNH nacional e estrangeira, julgamento de processos de suspensão e cassação da carteira, indicação de condutores que levaram multas, desbloqueio de Centro de Formação de Condutores, além da liberação de veículos, do exame teórico e prático.

Em nota, o Detran informa que tem mantido um amplo diálogo com a categoria e que durante as negociações o órgão atendeu a uma das reivindicações: o reajuste do vale-refeição para R$ 23. Ainda não foi feita uma contraproposta salarial.

O Detran de São Paulo oferece 27 serviços eletrônicos na página www.detran.sp.gov.br, entre eles os mais procurados pelo cidadão, como segunda via da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e agendamento da renovação da habilitação, entre outros.

Além disso, o licenciamento pode ser feito via rede bancária. Basta pagar no caixa do banco ou no internet banking a taxa do serviço (R$ 80,07) e o custo de envio pelos Correios (R$ 11).

Fonte: G1