Mudança de vistoria no transporte escolar de SP não é conquista, mas briga entre PT e PSDB (DTP x DETRAN)

Diferente do que vem sendo divulgado por alguns, a motivação da mudança de vistorias na cidade de São Paulo é meramente política, não se tratando de nenhuma conquista visando melhorias ao transporte escolar da cidade.

Já há alguns anos, a vistoria realizada dentro do DTP (Departamento de Transporte Público) era feita em conjunto entre funcionários da prefeitura e funcionários do DETRAN-SP.

Para esta parceria, nunca houve um convênio escrito e formal entre as duas gestões. Com a proximidade da disputa eleitoral pela prefeitura da cidade, a Prefeitura de São Paulo solicitou ao DETRAN-SP que a vistoria não mais fosse realizada por funcionários municipais.

Assim, a motivação da mudança é meramente política, em função da disputa entre gestão municipal petista versus a gestão estadual pêessedebista.

Se haverá com esse rompimento e mudança das vistorias alguma melhoria, ainda não é possível afirmar.

Até poucos dias atrás, a vistoria sempre foi feita por funcionários do DTP e do DETRAN dentro do mesmo espaço no Pari, sendo o DETRAN-SP responsável pelo carimbo da ATE (Autorização de Transporte Escolar, a jocosamente chamada “ficha de vacina”).

Ao romper a parceria, o município solicitou ao DETRAN que este assumisse sozinho a vistoria da valeta (parte de baixo do veículo) e a vistoria externa (visual, luzes, faixa, itens de segurança, documentos etc).

Hoje, a vistoria semestral não está sendo feita em nenhum local, e não há prazo nem local estabelecido onde será feita.

Há uma possibilidade de que a vistoria passe a ser realizada no Pátio Vila Lobos, em espaço exclusivamente do DETRAN. Também é possível que o DETRAN descentralize e permita a vistoria nos organismos (empresas de vistoria) já credenciados e autorizados pelo órgão para realização de vistorias veiculares.

É também provável que as próximas vistorias sejam suspensas ou adiadas, pois serão necessários em torno de 30 a 60 dias para o planejamento e organização de um novo local. Isso porque o DETRAN-SP foi pego de surpresa com a modificação imposta subitamente pela prefeitura.

Estas informações foram passadas em reunião ontem (20) entre as Associações ABFEMA, ARTESUL e UGTESP e Diretor do Detran, Sr. Maurício Haruo Koshiyama.

Segundo o diretor, não existe nenhum planejamento de processo de descentralização, mas uma desvinculação de serviços antes prestados em conjunto com a prefeitura de São Paulo (DTP). Em função disso, devido à adequação que terá de ser realizada, o DETRAN-SP afirma que os condutores escolares não serão prejudicados nas vistorias semestrais, que serão adiadas até que seja definida qual a melhor de serem feitas a partir de agora.

Na reunião, além destas informações, ficou estabelecido que em 20 dias haverá um novo contato das Associações com o DETRAN-SP, para verificar alguma novidade sobre este assunto e verificar que andamento será dado.

Portanto, não há nenhuma melhora aparente, sequer sabemos como ficarão as vistorias a partir de agora.

Existe sim uma possibilidade de que as vistorias do DETRAN sejam reduzidas de duas para apenas uma, ficando assim o transporte escolar da cidade de São Paulo com apenas duas vistorias no ano, sendo uma pela Prefeitura (CRM) e outra pelo DETRAN-SP (semestral).

Orientamos aos condutores escolares da cidade de São Paulo que aguardem novas informações, assim que recebermos faremos divulgação, seja na forma de reuniões com o DETRAN-SP, seja através de publicação oficial efetuada pelo próprio órgão, a qual assim que verificarmos, daremos conhecimento.

Por Antonio Félix