ABNT? Criança Segura? Padronização? Ônibus escolar público transporta 200 alunos e quebra suspensão

A falta de dinheiro para custeio do transporte escolar fez a prefeitura reduzir o número de veículos que faz o transporte dos alunos, reduzindo de 3 veículos para apenas 1 veículo operando.

A rota antes era servida por três ônibus nos três turnos. Alegando a crise, o prefeito cortou o do turno vespertino, o que ocasionou uma superlotação, principalmente no turno matutino.

O ônibus tem capacidade para 57 alunos e está chegando com até 200 alunos na cidade de Carnaubais, cidade de 10 mil habitantes do Estado do Rio Grande do Norte.

Estes alunos residem nas áreas de assentamentos da cidade, e vem sofrendo muito com a precariedade do transporte escolar.

Não bastasse a superlotação, há ainda a falta de manutenção da frota municipal e as condições precárias das estradas, um conjunto que tem ocasionado muitos transtornos aos estudantes.

Hoje (22) pela manhã, mais uma vez o ônibus quebrou na comunidade Umbuzeiro, distante 8 Km da cidade, ao transportar um número excessivo de 200 crianças, que ficaram expostas ao tempo e ao sol. Devido ao excesso de peso, o ônibus quebrou o fecho de molas.

Um dos moradores da localidade, Sr. João Tavares, que é pai de duas crianças que estudam em uma creche na cidade de Carnaubais, passou todas estas informações ao blog, e apela para que o Secretário de Educação do município tome as providências, antes de que aconteça uma tragédia.

Se o governo federal e os grandes fabricantes de veículos dessem a mesma atenção ao transporte escolar nos municípios que vem dando para a questão das cadeirinhas e a acessibilidade, apenas para vender novos veículos, talvez essa situação fosse diferente.

Quanto dinheiro não já foi gasto com assembleias, reuniões, discussões na Câmara dos Deputados e no Senado, reuniões de criação da norma da ABNT etc?

Que é necessário dar mais segurança às crianças todos concordam, porém onde uma cadeirinha poderá mudar essa situação? O direito à acessibilidade que tanto a Secretaria de Direitos Humanos defende nos novos veículos escolares a serem fabricados, está sendo defendido com o mesmo entusiasmo nesse ônibus com 200 alunos transportados espremidos uns sobre os outros?

Não há nenhuma preocupação real com a situação dos alunos nos municípios, tal qual essa que foi aqui denunciada, a única preocupação do governo federal e dos grandes empresários é fabricar e vender novos veículos.

Pelo Brasil afora existem vários veículos do Caminho da Escola que estão sucateados por falta de manutenção, outros nunca chegaram a rodar e encontram-se do jeito que foram recebidos, pois não há dinheiro para pagar combustível e motoristas.

Infelizmente, é a política do “quanto ganho com isso” que ainda impera no país. E se a população não intervir, opinar e exigir mudanças, a situação tende a ser pior ainda, quando novos veículos mais caros começarem a substituir os já existentes.

Por Antonio Félix
Com informações de Blog Luizinho Cavalcante