Pais de alunos fazem denúncia e pedem demissão de motorista de transporte escolar

manacapuru

Alta velocidade e condução perigosa em via não pavimentada, além de danos recorrentes ao veículo que fica muito tempo em conserto, são as principais reclamações dos pais.

A denúncia foi feita pela funcionária pública Jeane Nascimento, ao Jornal EM TEMPO Online, na tarde de quarta-feira (14).

Segundo a denunciante, é grave a má condição do transporte escolar que leva os estudantes do ramal Santo Antônio – no quilômetro 59, da Rodovia Manoel Urbano (AM-070) – à escola Municipal Bendito Gomes, localizada próxima ao início do ramal.

O transporte escolar é fornecido pela Secretaria Municipal de Educação de Manacapuru, cidade de aproximadamente 100 mil habitantes localizada na região metropolitana de Manaus, no Amazonas.

O principal problema, segundo Jeane, é o motorista, identificado apenas como ‘Ulisses’, que tem danificado com frequência o ônibus devido as contínuas manobras arriscadas no ramal.

Jeane diz que não há segurança alguma para as crianças. “Ele transporta diariamente 34 crianças divididas em dois horários, pois faz percurso de seis quilômetros. O ramal é ruim, pois não tem asfalto. Não é possível o motorista dirigir em alta velocidade. Nós, pais de alunos, estamos indignados com a maneira que o motorista vem dirigindo”.

A funcionária pública ainda afirmou que o ônibus escolar chega a passar até 15 dias parado para conserto, o que tem prejudicado os alunos, principalmente os mais humildes, que ficam sem ir à escola durante esse período.

“Coloca em risco as vidas e destrói o patrimônio público, que fica geralmente 15 dias parado para sua recuperação e ser utilizado novamente. Algumas crianças de famílias mais humildes, não vão à escola durante a falta do transporte. O motorista fica esse período sem fazer o percurso e recebe seu salário normalmente”, denuncia a mãe.

Os pais entregaram um abaixo-assinado com 59 assinaturas de moradores do ramal, com pedido de demissão do motorista à secretaria responsável.

“Esse documento chegou até as mãos do secretário de educação do município de Manacapuru, Wellington de Oliveira Sena. Pedimos a ele para colocar uma pessoa mais responsável”, diz a mãe.

Segundo o secretário, o motorista passou por uma seletiva, que precisa ser respeitada até o fim do contrato, que provavelmente termina no final do ano.

Com informações do Em Tempo Online