Motorista morre eletrocutado e monitora salva crianças de ônibus “energizado” por cabos elétricos na via

bus_eletrochoqueO motorista de um ônibus escolar morreu eletrocutado na manhã de ontem (25), no interior de Dilermando de Aguiar.

Glenio Tadeu Sarturi, 44 anos, transportava seis crianças, entre 11 e 15 anos, e uma monitora da empresa Mazzardo Transportes, quando ocorreu o acidente. O veículo tinha como destino a Escola Municipal Valentim Bastianello.

Por volta das 7h05, o ônibus trafegava pelo Corredor dos Saydelles, na comunidade de Sobradinho, a cerca de 10 quilômetros da escola, quando se deparou com fios de alta tensão em uma altura mais baixa que o normal devido a um poste inclinado. O motorista tentou cruzar, mas a fiação encostou no teto do veículo deixando-o energizado.

“Começaram a sair faíscas no painel e o motorista disse “vamos descer”. Ao sair do ônibus, ele levou um choque e caiu dentro do açude. Quando vi o que aconteceu, fiz as crianças se sentarem para esperarmos por ajuda”, explica a monitora Eliane Rossini Mazzardo, 34 anos.

Após o acidente, Eliane entrou em contato com o proprietário da Mazzardo Transportes e com o Corpo de Bombeiros. Os agricultores Juarez e Fernanda Saydelles foram os primeiros a chegar ao local. No ônibus estava o filho do casal, Vitor Brasil Saydelles, 15 anos. “Eu estava tomando café quando um vizinho ligou dizendo que havia ocorrido uma tragédia. Quando chegamos, orientamos as crianças a continuarem dentro do veículo e tentamos não nos aproximar”, relata Juarez.

Segundo Vitor, o susto foi grande no momento do acidente. “Havia muitas faíscas e quando o motorista disse para descermos, ele tomou o choque ainda na porta do ônibus”, afirmou o adolescente.

Ao chegar ao local, o Corpo de Bombeiros isolou a área à espera da AES SUL. De acordo com o sargento Mauro Fonseca, a monitora evitou uma tragédia maior. “Ao sair do ônibus, o motorista sofreu a descarga elétrica. A monitora salvou a vida das crianças fazendo com que eles ficassem dentro do ônibus”, relata o sargento.

Eliane e os seis estudantes, todos meninos, ficaram cerca de uma hora e meia dentro do ônibus. Os bombeiros conseguiram fazer o resgate dos passageiros com segurança após a AES Sul desligar a rede elétrica.

Cada cabo que tocou no ônibus possuía 13 mil volts. Os pneus estouraram devido à descarga elétrica.

Glenio Tadeu Sarturi atuava há três meses como motorista de transporte escolar. Segundo sua prima, Elsa Mortari Saccol, ontem seria um dia especial para a família. “O Glenio começou a trabalhar no transporte escolar para cuidar melhor do pai dele, Angelin Sarturi, que hoje (ontem) completa 83 anos. À noite, iriamos fazer uma festinha surpresa”, disse a desolada Elsa.

A AES Sul afirmou que irá investigar as circunstâncias do acidente antes de se pronunciar. A Escola Municipal Valentim Bastianello, como forma de luto, suspendeu as aulas nesta semana.

Com informações de A Razão