Placas específicas de estacionamento em escolas de Uberaba definirão local para vans escolares e para veículos dos pais

estac_uberabaNovas placas de estacionamento exclusivo para o transporte escolar estão sendo instaladas diante dos estabelecimentos de ensino de Uberaba-MG. A mudança se fez necessária porque as placas antigas geravam confusão entre permissionários de vans e pais de alunos.

Segundo o diretor do Departamento de Trânsito, Rodrigo Carmelito, realizar o transporte escolar não é uma ação exclusiva de vans. Os pais que levam os filhos para escola também estão realizando o transporte escolar. Assim, diante da necessidade dos profissionais que realizam esse serviço – motoristas de vans e micro-ônibus – em ter um espaço exclusivo para embarque e desembarque, a secretaria está limitando vagas, com espaço para vans, Kombis, ônibus e micro-ônibus, e outro para veículos comuns.

“Estamos apenas separando uma categoria de outra na porta das escolas, uma vez que a placa em que está escrito apenas transporte escolar é muito subjetiva, não especifica aqueles que podem parar”, explica Rodrigo.

A colocação das placas já começou, a equipe esteve na porta de escolas como Colégio Cenecista Dr. José Ferreira, Escola Municipal Urbana Frei Eugênio e Escola Estadual Grupo Brasil. “Vamos promover a alteração em todas, mas começamos por aquelas em que o movimento é maior. E depois das trocas será realizada campanha de educação no trânsito, para orientar”, diz.

Vale lembrar que destinar espaço para vans, Kombis, ônibus e micro-ônibus é uma reivindicação antiga do Sindicato dos Transportadores de Escolares (Sintesc). “Tem seis anos que estamos pedindo por isso e, agora, conseguimos o estacionamento exclusivo para o transporte escolar remunerado”, revela a delegada regional do sindicato, Maria Goretti Elias.

De acordo com Goretti, apesar da mudança já ter sido realizada, pelo que pôde perceber, os motoristas de veículos comuns ainda não estão respeitando a vaga exclusiva, o que mostra a necessidade de realizar um trabalho educativo e, depois, de fiscalização, para que seja cumprido o que diz a placa. “Esperamos que logo seja possível perceber resultado, pois se houver necessidade, vamos encaminhar um ofício à Polícia Militar pedindo fiscalização”, destaca Goretti.

Com informações do Jornal da Manhã