´Garupa´, o ‘Uber’ de mototáxi que começa a operar no Rio e em São Paulo

Garupa_appDe olho na expansão do mercado de transporte particular urbano, uma nova moda, que tem apenas duas rodas, está andando pelas ruas do Rio de Janeiro. Batizado de Garupa, o aplicativo é o ‘Uber’ das motos. Pelo menos entre os famosos, a alternativa já é sucesso. “Vamos de Garupa. Uhu”, disse a atriz Giovanna Lancellotti, em um vídeo publicado no Instagram dela, em que aparece sobre a moto em movimento.

O melhor do app é que as corridas cabem no bolso do passageiro. O preço da viagem, segundo a CEO da plataforma, Suellen de Aguiar Rodrigues, pode ser 40% mais barato do que táxis. Ela ainda ressaltou que o Garupa não tem tarifa dinâmica, diferentemente do Uber, que cobra de acordo com a demanda.

“Entre as diversas vantagens do aplicativo estão a comodidade, rapidez e principalmente a segurança. Todos os condutores cadastrados passaram por uma série de exigências alinhadas à regulamentação. E as corridas do aplicativo estão cobertas por um seguro que vale tanto para usuários, quanto para motoristas”, afirmou Suellen.

Uma corrida do Humaitá a Copacabana, ambos na Zona Sul, por exemplo, fica em torno de R$ 12. O capacete está incluído no pacote, e seu uso é obrigatório. A novidade já está instalada no Rio, Niterói e São Gonçalo. São Paulo recebeu o Garupa nessa segunda-feira (13) e já há 50 condutores cadastrados. No Rio, o número ultrapassa 600, com 13 mil usuários.

Para trabalhar no Garupa
Ser maior de 21 anos, ter mais de dois anos de carteira de habilitação, possuir motocicleta de até oito anos de uso e, no mínimo, 125 cilindradas, além de não ter antecedentes criminais.

Forma de uso
Após baixar o aplicativo e se cadastrar, o usuário seleciona a origem e o destino. A plataforma informa o tempo que o motociclista levará até o cliente e também ao destino indicado.

Com informações de Notícias ao Minuto