Professores municipais de SP decidem continuar em greve até o dia 21 de março

Greve_SinpeemSegundo informações do SINPEEM (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo), mais de 30 mil professores presentes na manifestação de quarta-feira(15) aprovaram a continuidade da greve e a realização de uma nova assembléia em 21 de março.

A assembléia que decidiu pela continuidade da greve ocorreu em frente à Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, marcando o início da greve dos profissionais de educação da rede municipal de ensino, deliberado em assembléia anteriormente realizada pelo SINPEEM na manifestação do dia 8 de março.

Após a realização de assembleia, que aprovou a continuidade da greve da categoria e realização de nova manifestação e assembleia na próxima terça-feira, 21 de março, às 14 horas, em frente à Prefeitura, uma comissão da Diretoria do SINPEEM foi recebida pelos secretários municipais de Educação e de Relações Governamentais, Alexandre Schneider e Milton Flávio M. L. Chlager, respectivamente, para entregar a pauta de reivindicações dos profissionais de educação, que têm data-base em maio.

As reivindições englobam tanto a posição contrária à reforma da Previdência, como a retirada da Câmara Municipal do Sampaprev, a valorização dos pisos do Quadro dos Profissionais de Educação e o cumprimento da lei que garante reajuste de 5% a todos os padrões de vencimentos do QPE, em maio deste ano, além de questões salariais, funcionais, funcionais do Quadro de Apoio, organização das unidades e condições de trabalho, educação e formação, saúde dos profissionais de educação e combate à violência.

Os secretários municipais receberam a pauta e disseram que vão estudar o documento para no dia 21 de março já terem uma posição sobre as reivindicações da categoria.

Apesar de deflagrada a greve pelo sindicato da categoria, não há participação massiva de todos os professores das escolas municipais, em algumas escolas há paralisação total das aulas e em outras há fechamento apenas parcial, com aulas em algumas séries. Os professores e/ou escolas que aderiram à greve já enviaram comunicados aos pais sobre o não atendimento entre os dias 16 e 21 de março, com retorno previsto para o dia 22 (quarta-feira).

Por Antonio Félix
Com informações do portal do Sinpeem