Melhor motorista da América Latina recebe caminhão e muda de vida

O caminhoneiro baiano Luis Carlos dos Santos é o mais novo proprietário de um caminhão top de linha do mercado. Ele foi recebido com uma grande festa nesta terça-feira (4), na Casa Scania Movesa, para levar para casa o tão sonhado prêmio que ganhou ao se tornar o melhor motorista de caminhão da América Latina, em novembro de 2016.

Natural de Salvador, o profissional derrotou os outros 11 condutores classificados para a final latinoamericana do Scania Driver Competitions 2016, e conquistou o desejado título. A disputa inédita contou com participantes de Brasil, Argentina, Chile e Peru.

Santos já é proprietário de um caminhão Scania Streamline R 440 6×2 zero quilômetro. As provas foram disputadas nos dias 26 e 27 de novembro, em São Bernardo do Campo, São Paulo.

“Estou muito feliz. Foi um dia inesquecível. Receber o caminhão na minha terra me proporcionou levar a minha família e amigos, pois com eles foi ainda mais especial. Minha vida toma um novo rumo a partir de hoje. Será totalmente diferente, especialmente em um momento de crise econômica, vou ter a chance de ser dono da minha própria empresa. Agradeço a Scania por mudar a minha vida”, afirma Luis Carlos dos Santos, 31.

“É um orgulho ter um brasileiro como o primeiro vencedor do SDC América Latina. A Bahia é um grande polo de transporte e de um enorme potencial. Desejamos que o Luis Carlos seja muito feliz com seu caminhão. Nestes tempos de dificuldades da economia brasileira, ter o próprio caminhão abre muitas oportunidades”, afirma Rodrigo Machado, coordenador do SDC Brasil.

Continua após a publicidade


Cada um dos quatro países que competiram teve os três melhores motoristas classificados após meses de disputas em várias fases. Em um sábado, os 12 competidores fizeram quatro provas, entre elas teórica e de percurso. NO dia seguinte, domingo, realizaram um teste de manobra individual ao volante.

A soma dessas cinco avaliações classificou 8 motoristas dentre os 12. Os oito candidatos se enfrentaram em duplas, em provas eliminatórias de habilidade na condução do caminhão e corrida contra o tempo.

Na grande final, Santos enfrentou o argentino Hugo Armando Valdiviezo, de 35 anos. Ambos tinham algo em comum, pois ficaram em terceiro lugar na fase nacional de seus países. Ou seja, não chegaram como favoritos entre os 12.

A difícil prova que valeu um caminhão consistia em fazer um circuito em Z, dirigindo de ré e depois de frente derrubando pinos com a máxima destreza e no menor tempo possível. O brasileiro errou logo no começo e teve de manter a calma para vencer o argentino, que ao cometer uma sequencia de falhas foi superado pela agilidade de Santos.

Santos estava prestes a desistir da profissão, após seis anos de estrada. Mas, com a vitória mudou totalmente sua visão.

Com informações do Blog do Caminhoneiro