Multas eletrônicas de rodízio em SP em áreas de alagamento não serão aplicadas, diz secretário de transportes

O secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, disse que a Prefeitura não deverá aplicar multas de rodízio aos motoristas que ficaram presos em áreas de alagamentos dentro do centro expandido de São Paulo e tiverem sido flagrados pelos radares eletrônicos por causa da forte chuva da noite desta quinta-feira (6) e na manhã desta sexta-feira (7).

O rodízio em São Paulo é das 7h às 10h e das 17h às 20h. A multa aplicada para quem infringir o rodízio é de R$ 130,16.

Continua após a publicidade


“As multas eletrônicas na área dos alagamentos vamos cuidar para não aplicá-las”, disse Avelleda. O secretário destacou ainda que se algum motorista tiver recebido multa de rodízio depois de ter saído da área de alagamento, a Prefeitura vai acatar a defesa apresentada informando o deslocamento que a pessoa fez. Para isso, o motorista deverá entrar com recurso após receber a notificação da infração de descumprimento do rodízio.

O secretário destacou que os agentes da CET não estavam aplicando multas manuais durante o período de alagamento, dizendo ainda que a Prefeitura optou por não liberar o rodízio na manhã desta sexta-feira (7) para não piorar a situação do trânsito em São Paulo e na Região Metropolitana.

“Liberar o rodízio seria ampliar os engarrafamentos”, disse, destacando que às 9h30 o índice de lentidão já voltava à média para o horário.

Com informações do G1