Mudança no transporte gera protesto em Barueri

Integrantes da Cooperativa dos Motoristas de Transportes Autônomos de Barueri (Cooperaub) promoveram na terça-feira, 16, protestos em frente à prefeitura e Câmara Municipal. Eles são contrários ao processo licitatório emergencial que substituiu a empresa na cidade.

O grupo alega que a licitação foi feita em cima da hora e que o pregão presencial não teria sido leal, considerando que a cooperativa atua há mais de 20 anos na cidade e mantém cerca de 520 empregados prestando serviços para a prefeitura.

Nos cartazes que os manifestantes empunhavam, eles acusavam o prefeito Rubens Furlan (PSDB) de ter conquistado a confiança da cooperativa, mas de ter promovido o desemprego. A Cooperaub era responsável por fornecer veículos como vans das secretárias, ônibus escolares e caminhões para serviços gerais. Um dos critérios para a nova licitação era a modernização da frota dos veículos.

Na Câmara, os manifestantes foram recebidos pelos vereadores. A Comissão de Transporte da Casa se comprometeu a fazer uma ponte para viabilizar uma audiência com o prefeito e está no aguardo na agenda de Furlan. Porém, há um fator que complica a Cooperaub. Em 2015,
o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) questionou a contratação formalizada entre prefeitura e cooperativa alegando irregularidade no contrato. Esse problema jurídico proíbe qualquer aditivo ou renovação embora a empresa tenha participado do pregão e ficado em 10º lugar, tendo a locadora de veículos Credicar como vencedora.

Segundo o vereador Neto Amorim (PV), vice-presidente da Comissão de Transporte, os parlamentares aguardam documentação da cooperativa para analisar possibilidade de auxiliar no impasse jurídico.

Com informações do Web Diário