Pais denunciam ônibus levando até 200 crianças em transporte escolar gratuito

Em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, um único ônibus escolar é responsável por transportar até 200 crianças. Para que os filhos consigam viajar sentados, pais e mães saem de casa com mais de meia hora de antecedência e, às vezes, voltam alguns pontos para tentar pegar o transporte mais vazio.

O veículo leva as crianças para as escolas municipais Júlio Rabello Guimarães, no Bairro da Luz, e Francisco de Oliveira, no Marco Dois. A maioria delas viaja em pé.

“São quase 200 alunos sendo levados ali. Fico preocupada porque são muitas crianças no ônibus. Tenho medo até de ele virar. Uma funcionária disse que nós deveríamos fazer uma reunião para pedir outro ônibus”, conta ao Jornal Extra a dona de casa Noêmia da Silva Pacheco, de 26 anos, mãe de dois alunos.

Consultado, o coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, disse que, mesmo que Nova Iguaçu não tenha uma regulamentação específica do transporte escolar, ainda vale a norma geral:

“Quando você contrata empresa para fazer o transporte, não pode ter ninguém em pé. Inclusive, crianças com idade adequada devem estar na cadeirinha.”

O Guia do Transporte Escolar determina que os veículos que levam as crianças precisam ter “cintos de segurança em boas condições e para todos os passageiros, uma grade separando os alunos da parte onde fica o motor e seguro contra acidentes”.

A Prefeitura de Nova Iguaçu não respondeu perguntas sobre quantos ônibus fazem o transporte escolar de alunos da rede municipal, o número de assentos em cada um dos veículos e se existe a possibilidade de outro ônibus fazer o itinerário.

Em nota, anunciou que equipes da Secretaria Municipal de Educação de Nova Iguaçu vão acompanhar o itinerário do ônibus escolar citado, “para verificar se todos os alunos que estão utilizando o transporte estão cadastrados para utilizar o serviço”. A prefeitura ressalta que o transporte é destinado prioritariamente aos estudantes que moram a mais de um quilômetro da escola.

Com informações do Extra