Criança de 10 anos é atropelada e morre ao descer de ônibus do Caminho da Escola e atravessar a rua no Paraná.

Uma criança de 10 anos morreu atropelada ao descer do transporte escolar e atravessar a rua no final da manhã desta sexta feira (05), em Pinhão, cidade de pouco menos de 40 mil habitantes localizada no sul do Paraná.

O acidente ocorreu por volta do meio dia da última sexta-feira, quando a criança retornava da escola para casa, na localizadade Faxinal dos Ribeiros, na zona rural do Município.

De acordo com testemunhas, L.R.B, de 10 anos, desembarcou do ônibus que fazia o transporte escolar e, ao atravessar a rua, foi atingido por uma F-4000 que passava naquele momento pela mesma estrada.

O motorista que atropelou a criança, parou e prestou atendimento, porém a criança não resistiu aos ferimentos e entrou em óbito no local. O corpo do menor foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Guarapuava.

Um dos grandes desafios dos motoristas escolares é estacionar e fazer com que as crianças cheguem em segurança até suas residências. Atualmente, não existem pontos de paradas nem mesmo em frente à muitas escolas, algo já reclamado há muito tempo pelos motoristas.

O ideal seria sempre o motorista estacionar do lado da via que permita às crianças já descer sobre a calçada da rua no lado em que está sua residência, o que às vezes é impossível devido à ausência de retornos na via ou ao tempo útil que o motorista deve cumprir para entregar todas as crianças.

Desta forma, a única solução imediata encontrada para evitar este tipo de acidente é a presença de um adulto ou responsável na descida da(s) criança(s) neste tipo de situação em que será necessário atravessar a rua ao descer do transporte escolar.

Na ausência de um adulto ou responsável para receber a criança, cabe a um monitor escolar descer e atravessar a criança em segurança até o outro lado da via. Sem um adulto responsável ou um monitor escolar no veículo, ficam as crianças à mercê da sorte.

É obrigação do Estado zelar pela segurança no transporte realizado e, no caso em questão, não é permitido que este transporte seja realizado sem a presença obrigatória de um monitor auxiliando o motorista.

Ficam nosso pesar e condolências à família desta criança vitimada, e nosso conselho à mesma de que busque seus direitos através de pedido de indenização à gestão municipal. Não trará a criança de volta à vida, mas servirá de punição aos gestores para que cumpram com suas obrigações de forma correta.

Por Antonio Félix
Com informações de Rede Sul