Sem quebra! Na Grande SP, câmeras vão fiscalizar as provas práticas para tirar a CNH

camera-cnh

O Detran (Departamento Estadual de Trânsito) São Paulo iniciou neste mês projeto piloto em São Bernardo com o uso de diversas tecnologias para inibir a venda da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). É a primeira cidade do Estado a receber esse teste.

Os exames práticos para a primeira habilitação passam a ser feitos em veículos próprios do Detran e equipados por câmeras de monitoramento, sensores e telemetria (acompanhamento à distância).

Candidato e examinador serão identificados por biometria (leitura de digitais) no início e no final da prova. Cinco câmeras instaladas no automóvel registram o que acontece dentro e fora dele, inclusive com áudio, análise do comportamento de candidato e examinador, percurso e movimentos de ré e baliza.

Além disso, sensores identificam possíveis toques do carro na baliza, aceleração excessiva, uso das setas e do freio de mão, funcionamento do motor, velocidades média e máxima e tempo gasto em pontos específicos do teste.

Se houver divergência entre a avaliação do examinador e os registros coletados pelos equipamentos, o sistema emitirá uma mensagem no painel de monitoramento, e o resultado será analisado pelos membros da banca examinadora. Nestes casos, serão em média três dias para confirmar a aprovação ou a reprovação do candidato.

As provas para moto também serão monitoradas. Neste caso, as câmeras foram instaladas em quatro pontos do percurso.

“O objetivo é tornar a aplicação do exame prático mais precisa e coibir possíveis irregularidades, como o pagamento da chamada ‘quebra’ para ser aprovado”, disse a diretora-vice-presidente do Detran-SP, Neiva Aparecida Doretto.

Foram disponibilizados cinco carros com a nova tecnologia para São Bernardo. Eles serão responsáveis pelas cerca de mil provas realizadas mensalmente na cidade.

O projeto piloto deve ser expandido para outras cidades, mas ainda sem prazo. A escolha por São Bernardo, de acordo com o Detran, foi motivada pela grande quantidade de motoristas que passam pelo teste e pela localização.

O projeto é desenvolvido pela Restart Fast Solutions, que venceu licitação em 2015. A empresa é responsável por fornecer os carros com câmeras, sensores e demais equipamentos.

Com informações do Detran.SP