Monitora será acusada por abandono de incapaz ao esquecer criança dentro de ônibus escolar

escolar_creche

A monitora foi a principal responsável pelo esquecimento de uma criança de 4 anos de idade durante a manhã inteira dentro de um ônibus escolar.

O incidente ocorreu na cidade de Jambeiro (SP), na região do Vale do Paraíba. A aluna foi esquecida na última sexta-feira (23) no ônibus escolar, onde passou cerca de cinco horas trancada e sozinha.

Segundo a Polícia Civil, que investiga o caso, a monitora do veículo, responsável por acompanhar as crianças, pode ser indiciada por abandono de incapaz.

A criança mora na área rural da cidade, no bairro do Tapanhão, e frequenta a Escola Professora Sônia Maria Alencar, no centro. O trajeto tem cinco quilômetros.

De segunda a sexta-feira, a menina pega o ônibus oferecido pela prefeitura, por meio da empresa terceirizada ABC Transportes, às 6h40 e é trazida de volta às 12h10.

Nem sempre é o mesmo veículo que atende os dois trajetos. Na última sexta, a mãe da criança, Lúcia Helena Nogueira de Aguiar, contou que não recebeu a filha no retorno da aula.

A monitora do ônibus viu a situação e voltou na escola para ver o que tinha acontecido”, disse. Após aproximadamente 20 minutos, a monitora retornou com a menina.

“Ela disse que a minha filha tinha se dispersado na hora da saída da aula e ficado na escola”, contou a mãe.

A família estranhou a situação e procurou a escola, onde descobriu que a criança não tinha ido à aula. Questionada, a menina então relatou que tinha passado a manhã no ônibus.

“Ela disse que chorou muito, ficou com medo e que queria ir ao banheiro”, contou a mãe. “Depois ela cansou e acabou dormindo”, continuou.

A família acredita que, no trajeto de ida à escola, a criança também tenha dormido, o que fez com que a responsável não percebesse que ela não havia descido do ônibus.

“Mas é uma situação que não pode acontecer. Graças a Deus minha filha está bem, mas correu muito perigo”, afirmou a mãe, que tem dez filhos e trabalha como cuidadora de idosos.

A mãe registrou o caso na delegacia da cidade. “O ônibus ficou estacionado próximo à escola durante todo o período. Por sorte, embaixo de uma árvore, o que pode ter ajudado a amenizar o calor”, acredita o delegado Régis Germano.

O delegado deverá ouvir nos próximos dias envolvidos e testemunhas, entre elas a monitora do ônibus. Agora, a criança está com medo de pegar o ônibus.

“Ela foi segunda-feira para a escola, mas na hora de voltar não queria entrar no ônibus, está traumatizada”, relata a mãe da menina. A criança está passando por consultas com psicólogo.

A responsável pela área de Educação da prefeitura, Jéssica dos Santos Pimentel, disse que esse é o único caso do tipo registrado e que o setor jurídico deverá verificar que medidas adotar em relação à empresa e ao transporte dos alunos. “Essa prestação de serviços é feita pela empresa contratada”, disse.

Procurados os responsáveis no setor jurídico e no gabinete da prefeitura, nenhum deles foi localizado. A ABC Transportes em Caçapava, também não se pronunciou com relação ao assunto.

Com informações do G1