18 crianças são sequestradas de ônibus escolar e resgatadas depois de 24h em acampamento de sem-terras

lcpConforme boletim de ocorrência, os menores foram retirados de um ônibus escolar por um homem armado, na quarta-feira (19), que seguia sentido a Fazenda Santa Aline, que passou por uma operação de reintegração de posse na última terça-feira (18). O local estava ocupado pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP).

As dezoito crianças foram resgatadas pelo Conselho Tutelar em uma casa da Linha 206, em Ji-Paraná (RO), na zona rural do município.

Segundo informações do boletim de ocorrência, o ônibus estava transportando 18 crianças que estudam em uma escola municipal na Linha 206. O motorista contou aos policiais que dois homens deram ordem de parada e que um deles estava armado com uma pistola. A dupla ordenou que as crianças do acampamento descessem do veículo.

O ato aconteceu no mesmo momento que acontecia a operação de reintegração e manutenção de posse da Fazenda Santa Aline, que retirou mais de 100 membros da LCP do local. Eles haviam invadido a fazenda há mais de seis meses.

Conforme o boletim de ocorrência, os menores ficaram escondidos em um matagal até o início da noite, quando os trabalhos de reintegração de posse já haviam sido encerrados. Depois do anoitecer, as crianças foram entregues à uma mulher de 27 anos, que reside na Linha 206.

Na manhã de quarta-feira, a Polícia Militar (PM) e duas agentes do Conselho Tutelar conseguiram chegar até a residência e encontraram os filhos dos acampados. À polícia, a suspeita contou que dava apoio à LCP em troca de duas marcações de terra dentro da fazenda invadida em abril.

A mulher recebeu voz de prisão por subtração de incapaz e foi encaminhada a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Ji-Paraná. Uma das crianças levadas era filha da suspeita, enquanto as outras 17 eram filhos dos acampados da LCP. Eles foram entregues aos seus responsáveis legais, mediante a assinatura de um termo de responsabilidade.

Na residência foi encontrada uma espingarda de calibre ponto 36 com sete munições intactas e uma usada, que pertencia ao marido da suspeita. O homem recebeu voz de prisão por porte ilegal de arma de fogo. A arma foi apreendida e recolhida ao cartório da delegacia.

Com informações do G1