Ônibus escolar com crianças “vai” à Marte e mostra reação deles ao “viajar” pelo planeta

onibus_marteDe acordo com a Framestone, o projeto teve como objetivo incentivar os alunos a explorar as áreas das ciências, tecnologias, engenharia e matemática de modo a que possam adquirir ferramentas necessárias para explorar o espaço no futuro. Algo importante tendo em consideração que “se espera que a primeira viagem a Marte ocorra dentro de duas décadas”.

A Framestore foi nomeada para óscares pelos efeitos visuais em filmes como “O Cavaleiro das Trevas” ou “Harry Potter e os Talismãs da Morte”. O Field Trip to Mars, por sua vez, transportou um grupo de crianças num autocarro escolar, sem que se apercebessem do que iria acontecer durante a viagem pelas ruas do distrito federal norte-americano Washington D.C. Foi a primeira experiência de sempre de realidade virtual em grupo.

A equipe que demorou seis meses a transformar o veículo de transporte escolar começou por criar cerca de 518 mil metros quadrados da superfície do planeta vermelho através da ferramenta Unreal Engine 4, habitualmente utilizada para criar e desenvolver jogos.

O passo seguinte foi fazer corresponder o mapa da superfície de Marte às ruas de Washington D.C. de modo a que, quando o autocarro virasse para a esquerda ou para a direita no mundo real, o mesmo acontecesse no mundo virtual.

Por fim, o veículo foi equipado com ecrãs LCD transparentes com resolução 4K e vidros elétricos que conseguem tornar a sua transparência em opacidade, transformando-se, assim, em telas onde as imagens de Marte passam à mesma velocidade a que o autocarro se move. Até os ecrãs serem ligados, os alunos puderam ver as ruas da cidade através das janelas sem suspeitarem que iriam ser levados para outro planeta.

bannerlateral_finestra297x120xO veículo foi ainda equipado com GPS, acelerômetro, magnetômetro e velocímetro a laser.

A experiência de realidade virtual não necessitou de dispositivos como óculos especiais ou auscultadores para que as crianças pudessem ver e ouvir o que se passava em Marte. Esta é a primeira tecnologia do género a trazer o planeta vermelho até à Terra.

A empresa afirma ainda que a criação dos efeitos especiais para filmes como “Gravidade” (2013) ou “Perdido em Marte” (2015) foi útil para a elaboração do mais recente projeto, visto que também envolve um cenário espacial.

Durante o discurso de William Sargent na Web Summit, a plateia teve a possibilidade de assistir ao vídeo do projeto realizado em parceria com a empresa fabricante de produtos aeroespaciais Lockheed Martin.

Para assistir uma pequena amostra do projeto e a reação das crianças transportadas, acesse através do youtube clicando AQUI .

Com informações de RTP