“Dona minina”, compre uma van escolar… Mulher é flagrada novamente fazendo transporte clandestino

uberaba_clandestinoA Secretaria de Defesa Social, Trânsito e Transporte (Sedest), por meio da Seção de Transportes Especiais, apreendeu, ontem, veículo que realizava transporte irregular de passageiros em Uberaba.

Duas crianças eram transportadas para um colégio localizado na rua São Sebastião, no centro da cidade, quando os fiscais de transportes especiais realizaram a autuação do veículo. A ação ocorreu por volta de 7h30, no momento em que a motorista deixava as crianças na escola.

De acordo com o chefe da Seção de Transportes Especializados, Marcelo Araújo, o flagrante ocorreu por meio de denúncia. “Foi constatado que houve o pagamento desse transporte, então os fiscais fizeram a apreensão”, afirma.

Ele esclarece que os fiscais da Seção de Transportes Especiais lavraram a autuação e a apreensão do veículo, no valor de 10 UFMs. Cada Unidade Fiscal do Município equivale a R$ 217, portanto, o valor da multa é de R$ 2.170.

“A fiscalização está nas ruas e atenta aos clandestinos. Mas muitas situações dependem do flagrante, o que conseguimos realizar nesta operação”, diz o chefe da seção. Esta não é primeira vez que a mesma motorista é flagrada fazendo transporte de passageiros de forma clandestina. De acordo com Marcelo, no que tange à primeira apreensão, a defesa está sob análise.

uberaba_clandestino

De acordo com a delegada regional do Sindicato dos Transportadores de Escolares (Sintesc), Maria Goretti Elias, esta não é a primeira vez que a motorista é autuada realizando o transporte clandestino de passageiros. Confira AQUI a autuação anterior ocorrida no dia 11 deste mês.

logo1991fabusNa avaliação dela, o culpado não é o transportador clandestino, mas sim os pais, que não se preocupam com a segurança da criança. “Ela [a motorista] chega a colocar oito a dez crianças sentadas, sem cinto de segurança, no banco de trás do carro, sendo que o máximo que cabe são três”, alerta, frisando que a responsabilidade deveria ser dos pais também. “Às vezes, há pais que optam pelo clandestino por causa de R$ 10,00 ou R$ 20,00 de diferença na mensalidade do transportador”, completa.

Nos últimos três meses foram efetuadas quase 60 notificações, segundo o chefe de transportes especializados, sendo 11 clandestinos apreendidos.

“É bom que a população tome muito cuidado, pois nunca sabemos quem é que está no volante. Para regularizar o transporte no município, a pessoa precisa apresentar antecedentes criminais, então, isso transmite para o usuário uma transparência e idoneidade”, finaliza Marcelo Araújo.

Com informações de JM Online