Professores de escolas estaduais de SP aprovam greve entre 28 e 31 de março

greve_apeoespOs professores da rede estadual de São Paulo aprovaram greve entre 28 e 31 de março, durante manifestação na praça da República (centro de São Paulo) contra reformas da Previdência e trabalhista, do ensino médio, o governador Geraldo Alckmin e presidente Michel Temer.

Após aprovar a greve, os professores iniciaram caminhada em direção à avenida Paulista, onde se juntaram ao protesto de movimentos de esquerda contra a proposta do governo, marcado para as 16h desta quarta-feira(15).

Além de profissionais da educação, muitos estudantes também acompanham a manifestação.

A Apeoesp, sindicato da categoria, é contra qualquer mudança na Previdência.

Os professores também pedem reajuste salarial de 21,74% e correção da desafazem de 9,2% em relação ao piso nacional da categoria. Os profissionais começaram a se concentrar por volta das 14h na praça da República, no centro de São Paulo.

Uma vaia seguiu a menção ao nome do governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB). A manifestação também conta com um grande boneco inflável do tucano com um adesivo “reajuste já”.

De acordo com organizadores da manifestação, 80% da rede foi paralisada nesta quarta (15).

O projeto de reforma enviado pelo presidente Michael Temer ao Congresso acaba com a aposentadoria especial para professores. Pela legislação atual, a categoria pode se aposentar cinco anos mais cedo que a regra geral.

Com informações da Folha de S.Paulo