Se a moda pega! Prefeitura renegocia contratos com redução de 10% com empresas do transporte escolar

A Prefeitura de Campo Grande renegociou os contratos e conseguiu 10% de desconto das 12 empresas que operam o transporte escolar na Capital. O custo do serviço somava cerca de R$ 800 mil por mês.

Os contratos revisados foram assinados na tarde desta segunda-feira (26) no gabinete do prefeito Marquinhos Trad (PSD). “Reduzir este percentual representa economia de quase R$ 1 milhão por ano para o município e com certeza vamos ter condições de manter. Com a assinatura deste contrato a cidade só tem a ganhar”.

Quirino Piccoli, dono da Transpiccoli, afirma que os prestadores do serviço entenderam a situação financeira do município. “Entramos num consenso porque entendemos a atual situação da prefeitura”.

A revisão contratual faz parte do pacote de cortes de gastos no município anunciado pelo prefeito no dia 25 de maio. O titular da Sefin (Secretaria Municipal de Finanças e Planejamento), Pedro Pedrossian Neto, afirmou naquela data que as medidas de contingenciamento pretendiam a redução imediata de ao menos R$ 5 milhões mensais no custeio da máquina pública municipal.

Além de rever contratos com fornecedores e prestadores de serviços, a prefeitura cortou gratificações de parte dos servidores.

Na tarde desta segunda-feira, o prefeito afirmou que cortando gastos a prefeitura terá mais caixa para arcar com outras despesas, como por exemplo os aumentos pleiteados por categorias do funcionalismo público.

Também assinaram os novos contratos, o secretário de Finanças e a secretária municipal de Educação, Ilza Matheus.

As 83 linhas do transporte escolar operam exclusivamente na área rural de Campo Grande e atendem diariamente cerca de 3 mil alunos. Eles são levados para 40 escolas mantidas pelo município.

O chefe do Executivo municipal deixou claro que não haverá redução no serviço, apesar da redução do valor dos contratos.

Com informações de Campo Grande News