Dicas de manutenção básica para veículos de transporte escolar

Para transportar todos os passageiros em segurança e sem sustos é preciso manter o veículo em boas condições de uso. Os reparos precisam ser feitos periodicamente. É preciso ficar atento a tudo que acontece com o seu carro. Os cuidados variam desde a estética do veículo até problemas problemas funcionais.

A manutenção de veículos é o primeiro passo a ser tomado pelos transportadores para evitar a ocorrência de prejuízos e acidentes. Mais do que um mero cuidado com a frota, é uma medida estratégica, já que, com a manutenção preventiva dos veículos, é possível identificar de antemão quais os prováveis problemas que podem se tornar um grande transtorno no futuro.

Em primeiro lugar, os transportadores precisam ter em mente que realizar manutenções periódicas não é sinônimo de “despesas desnecessárias”. Por mais que existam custos envolvidos, essas manutenções garantem que os veículos possuem condições de rodar normalmente, sem oferecer riscos de problemas mecânicos ou até de causar acidentes.

O problema está justamente quando não é feito o investimento de manutenção periódica da frota. Os custos com acidentes e problemas mecânicos graves são prejuízos consideráveis, uma vez que poderiam ter sido evitados.

A escolha do mecânico e do motorista fazem grande diferença

Outro ponto importante para a manutenção de veículos de transporte escolar é poder contar com profissionais qualificados e capacitados. Isso porque a manutenção deste tipo de veículo envolve certas particularidades que um profissional que não possui a devida qualificação pode não conseguir enxergar.

Além disso, é importante também contar com motoristas qualificados, que saibam da importância de cuidar bem dos veículos e evitar condutas que possam ocasionar problemas mecânicos ou a troca precoce de certas peças ou acessórios.

A importância da manutenção preventiva

Fazer a manutenção preventiva é muito mais econômico porque geralmente evita que os problemas se agravem. A melhor maneira de fazê-la é seguir as recomendações indicadas pelo fabricante, dentro dos prazos e quilometragem do manual do veículo. Em veículos mais antigos ou que não possuem manual, é importante estabelecer um programa próprio de manutenção periódica, o que pode ser melhor elaborado se discutido com seu mecânico de confiança.

Veja abaixo 5 dicas básicas de manutenção de veículos de transporte escolar.

1- Período de manutenção

A maioria dos mecânicos recomenda que a manutenção de veículos de transporte escolar deve ser feita a cada 6 meses. O tempo é considerado o suficiente para diagnosticar eventuais problemas e evitar futuros defeitos.

2- Uso de peças originais

É válido frisar, sempre que houver a necessidade da troca de alguma peça, verificar com seu mecânico de confiança se ele usará peças originais de fábrica. A importâcia do uso de peças originais se dá pelo fato delas possuírem durabilidade maior e terem uma qualidade superior.

3- Cintos de segurança

Quando se trata de transporte escolar, essa peça se torna ainda mais fundamental, tanto para a segurança do motorista quanto dos passageiros – especialmente crianças. Fiscalize sempre se os encaixes e os pontos de fixação da peça está em perfeito estado de conservação e devidamente presos. A manutenção inclui uma limpeza regular, lubrificação das peças metálicas e passar um pano umedecido para manter as tiras do cinto limpas.

4- Lataria e Pintura

É importante manter o estado da lataria do veículo em boa conservação, principalmente contra sujeira, ferrugem, corrosão e até contra possíveis atos de vandalismo.

5- Cuidados com os bancos

Aqui a atenção deve se redobrar para possíveis vazamentos de produtos químicos, alimentos líquidos ou pastosos que podem sujar os bancos do seu veículo. Ainda mais quando se lidam com crianças, o risco delas sujarem, ou até mesmo perfurarem o banco, é maior; fatores que colocam em risco a própria são saúde deles. Se o estrago for muito grande e necessitar de uma limpeza mais profunda, procure uma empresa de confiança para a lavagem.

 

Com informações do portal Escolar Transporte, Bus Vision e Portal do Trânsito