Dória monta time de notáveis para acelerar nova licitação e reduzir gratuidades no transporte de SP

A colunista Sonia Racy, do Estadão, conta que João Dória reuniu um time de notáveis para achar solução para o buraco das contas fiscais de São Paulo neste ano, estimado em R$ 7,5 bilhões.

Fazem parte do grupo: Murilo Portugal (Febraban), Renato Villela (ex-secretário da Fazenda de Alckmin), Ana Carla Abrão (ex-secretária da Fazenda de Goiás), Andrea Calabi (ex-ministro de FHC e ex-secretário de Alckmin), Roberto Giannetti (empresário e exportador), mais Teresa Ter-Minassian (ex-FMI).

Todos esses especialistas compõem o conselho da Secretaria da Fazenda Municipal. No foco do grupo, em nível máximo de urgência, está a nova licitação do transporte urbano. Só neste quesito, o rombo chega a R$ 3,5 bilhões.

O foco do time de notáveis está nas gratuidades. Doria já mexeu no passe livre para estudantes. Agora a medida em estudo é limitar o uso do passe por um “filtro de renda”.

“30% do transporte de ônibus hoje em São Paulo é de graça – quando, no mundo todo, a média fica entre 10% e 15%”, explica Ana Carla Abrão.

A economista conta que o transporte coletivo movimenta 9 milhões de passageiros por dia por meio de contratos urbanos que custam aos cofres da prefeitura R$ 9 bilhões por ano. Ela defende a abertura da licitação dessa área, incluindo concorrentes estrangeiros.

Nota nossa:
É claro que tudo isso é relativo ao transporte coletivo urbano, mas, nos faz ficar atentos e imaginar ser quase um sonho a possibilidade de melhorias para o transporte escolar gratuito (TEG) na licitação que está sendo elaborada pela prefeitura.

Com informações do Diário do Transporte