PMSP disponibiliza consulta atualizada de pagamentos feitos a transportadores escolares do TEG

Para o bem ou para o mal, a mesma consulta disponibilizada no início do ano de 2017 que demonstrava todos os pagamentos efetuados aos transportadores escolares durante todo o ano de 2016, não só foi mantida como atualizada até o último mês corrente.

Quando publicados estes dados lá no início do ano, os transportadores escolares viram a ação da Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP) como uma retaliação aos protestos e manifestações contrárias aos cortes promovidos no início do ano letivo, como uma forma de mostrar à população quanto estes ganhavam.

A lista atual traz muito mais informações, com os pagamentos efetuados inclusive já no início deste mês de agosto de 2017 referentes ao pagamento do serviço executado no mês de junho, e que deveria ter sido pago até o último dia útil de julho.

E quanto a questão dos pagamentos, é até louvável a exposição total dos fatos, vez que a PMSP divulgou a data real em que o pagamento dos transportadores escolares foi efetuado, ou seja, a planilha demonstra a data real em que foi efetuado o pagamento em atraso.

Só há uma incorreção na coluna DT_PREV_PGTO, que demonstra a data prevista para pagamento, vez que esta está anotada sempre igual à coluna DT_PGTO, que demonstra a data em que o pagamento foi realizado; pois a data da coluna DT_PREV_PGTO deveria ser sempre 30 (trinta) dias após a data do encerramento do serviço prevista na coluna DT_FIM_RLZC_LQDC, ou seja, o último dia do mês subsequente ao mês em que houve a prestação do serviço.

Ao demonstrar a coluna DT_PREV_PGTO igual à coluna DT_PGTO, é como se não tivesse havido atraso de pagamento por parte da PMSP, mas é possível observar o atraso apenas observando as datas e não identificando os pagamentos em 30 dias após a data anotada na coluna DT_FIM_RLZC_LQDC.

O detalhe não é nem que a lista fique acessível à população em geral, mas sua exposição dentro da própria categoria logo começará a causar confusão, é só aguardar.

Com a consulta à lista, é possível pesquisar e verificar quanto cada transportador ou empresa concorrente ganha a cada mês, mesma situação que pode ser pesquisada por funcionários e terceiros interessados em saber quanto ganhou e em qual data recebeu determinado transportador ou empresa.

Isso vai causar um “furdunço”… E não só entre os prestadores do serviço, como também nas escolas ou pessoal administrativo das DRE´s… Não foi só uma única vez em que professores e auxiliares administrativos chegaram a comentar (erroneamente, diga-se de passagem) que um transportador escolar do TEG ganha muito mais que eles…

O maior problema desta exibição de dados, é que ninguém nunca lembra que é preciso pagar a prestação de um veículo que custa entre R$ 50 a R$ 120 mil (preço médio entre o mais barato/antigo e o mais caro/novo), o combustível, a manutenção e troca de peças, taxas de vistorias, salários de motorista/monitora, encargos trabalhistas, impostos, e no final de tudo, sobra o salário real líquido daquele transportador ou empresa.

Então, uma pessoa desinformada ou com má interpretação, chega e vê um valor de remuneração de R$ 6 mil, por exemplo, logo acha que este valor bruto vai integralmente pro bolso do transportador ou empresa.

Interessante mesmo é observar que, considerando-se que a PMSP apurou um valor de remuneração de R$ 140,00 por criança transportada no lançamento do Credenciamento no final de 2015, que após duas atualizações em maio de 2016 e maio de 2017, hoje encontra-se no valor atualizado de R$ 176,02 por criança; e que este valor inicial presumia o transporte de 56 crianças (não cadeirantes) por cada veículo, hoje cada transportador deveria estar ganhando um valor médio de R$ 9.857,12, e ao analisar a lista publicada observa-se que apenas 7% (sete por cento) do total de pagamentos foi igual ou superior a este valor utilizado como parâmetro de remuneração.

Assim, considerando-se o valor “ideal’ de remuneração previsto no Credenciamento (R$ 176,02 x 56 crianças = R$ 9.857,12), segue abaixo uma tabela demonstrando quantos transportadores ganham abaixo ou acima deste “valor ideal”, após tabulação dos dados demonstrados na planilha de transportadores autônomos, os quais utilizam-se de apenas um único veículo, não sendo possível fazer a mesma apuração para as empresas devido estas terem um ou mais veículos inclusos no mesmo pagamento mensal.

Faixa de remuneração Quantidade de transportadores % do total
De R$ 0,00 a R$ 1.000,00 59 4%
De R$ 1.000,00 a R$ 2.000,00 96 6%
De R$ 2.000,00 a R$ 3.000,00 130 8%
De R$ 3.000,00 a R$ 4.000,00 184 12%
De R$ 4.000,00 a R$ 5.000,00 241 15%
De R$ 5.000,00 a R$ 6.000,00 315 20%
De R$ 6.000,00 a R$ 7.000,00 233 15%
De R$ 7.000,00 a R$ 8.000,00 154 10%
De R$ 8.000,00 a R$ 9.000,00 63 4%
De R$ 9.000,00 a R$ 9.857,12 35 2%
Acima de R$ 9.857,12 80 5%
TOTAL DE TRANSP. AUTÔNOMOS 1590 100%

Podemos observar que a maior quantidade de transportadores está na faixa de remuneração entre R$ 5 a 6 mil mensais (20% do total ou 315 transportadores autônomos), e também que 45% dos transportadores, ou seja, quase a metade dos veículos autônomos, recebe uma remuneração abaixo de R$ 5 mil mensais.

Ainda que recebessem todos estes 45% de transportadores a faixa de R$ 5 mil mensais, isso representa apenas a metade da remuneração prevista como “ideal” pelo regulamento do Credenciamento (o valor de R$ 9.857,12 pago pelo transporte de 56 crianças).

Sorte mesmo tem apenas os 5% de transportadores escolares (total de 80 destes) que recebem a remuneração igual ou maior que R$ 9.857,12, o que significa que conseguiram uma excelente lotação de seus veículos nas escolas onde trabalham, bem diferente da maioria que míngua atrás de crianças para transportar e não as encontram nas escolas municipais onde atuam.

Como nossa premissa é divulgar informações, segue abaixo o link para acesso à página da PMSP onde encontra-se publicada a lista:

CLIQUE AQUI

Com informações do portal da PMSP