Prefeitura de SP atrasa de novo o pagamento do transporte escolar gratuito. Até quando?

Desde o início do ano já virou quase uma regra, todos os meses os prestadores de serviço do transporte escolar gratuito da Prefeitura de São Paulo tem recebido o pagamento com atraso.

Hoje, dia 29, último dia útil do mês, é a data de recebimento do pagamento referente ao serviço prestado durante o mês de agosto, mas não há sequer previsão de quando a Prefeitura fará o crédito.

O atraso ocorre até hoje, mesmo já tendo havido em meses anteriores várias manifestações dos condutores em frente à Prefeitura e reuníões com secretários municipais, em que houve falsa promessa de que não mais haveria atraso, e de que o atraso foi em função de adequação de sistema etc etc

Estranhamente, a página da prefeitura onde é possível efetuar a consulta do pagamento esteve fora do ar desde o início desta semana, e somente hoje, dia 29, é possível acessa-la e consultar a data de programação do crédito.

Só que na consulta o resultado é NADA, não há nenhuma previsão de pagamento ainda no sistema da prefeitura, e isso poderia ter sido visualizado pelos condutores desde o início da semana caso a página estivesse no ar.

Nosso entendimento é de que em caso de consulta e não visualização da programação do pagamento desde o início da semana, e já com a certeza de que este não seria realizado no dia correto, a revolta seria maior.

Porém, não há como se afirmar de que foi proposital a retirada do acesso à opção de consulta à programação do pagamento.

Nos primeiros meses do ano, realmente houve um certo atraso na adequação do processo e a liberação das planilhas de apontamento e geração dos demonstrativos de pagamento que devia ocorrer nas primeiras semanas do mês e vinha ocorrendo na última semana do mês, o que impedia concretamente que o pagamento fosse realizado na data correta.

Ocorre que este mês, a exemplo dos últimos meses, embora ainda com um atraso de alguns dias, as planilhas estão sendo liberadas em tempo e não deveriam haver novos atrasos no crédito do pagamento.

A nova gestão municipal, que tanto prometeu melhorias e boa gestão à atividade do transporte escolar na cidade, tem tratado a categoria a ‘pão-de-ló’, desde os cortes nas crianças do TEG, a não liberação de faixas exclusivas ou demarcação/fiscalização de estacionamentos nas escolas, os abusos cometidos na fiscalização por agentes da SPTrans sobre os veículos com faixa escolar e a ausência de fiscalização sobre os veículos clandestinos etc

Para a prefeitura, nenhum prejuízo, salvo algum arranhão na falsa imagem de bom gestor que o prefeito busca passar, o que somente ocorre em caso de alguma manifestação dos transportadores escolares e que a mídia dê alguma cobertura.

Para os pais, prejuízo nenhum também, pois até hoje o serviço não chegou a ser interrompido em momento algum, devido os condutores estarem suprindo a ausência do pagamento e cumprido diariamente o transporte das crianças.

Prejuízo mesmo só para os transportadores escolares, que tem arcado com multas e juros de atraso no pagamento dos custos da prestação do serviço, seja na prestação do veículo ou na fatura do cartão de crédito, e o pagamento com recursos próprios do abastecimento e manutenção dos veículos.

Amanhã, sábado (30/set), no horário das 9h da manhã, os condutores escolares do TEG estarão realizando uma assembleia na Câmara Municipal de São Paulo, no Viaduto Jacareí, nº 100, no auditório térreo, onde decidirão que medidas serão tomadas em relação aos desmandos dessa nova gestão.

Por Antonio Félix