Motorista de ônibus escolar é afastado após vídeo de criança de 10 anos punida com castigo durante o transporte

O vídeo que mostra o motorista de um ônibus escolar de Flores da Cunha, no Estado do Rio Grande do Sul, obrigando uma criança a ficar de castigo dentro do coletivo viralizou nas redes sociais e divide opiniões quanto ao comportamento do profissional.

O menino, de 10 anos, é estudante da rede municipal e um dos 5 mil que usufruem do serviço de transporte escolar terceirizado pela prefeitura. Após o caso, o motorista foi afastado da linha.

Ao tentar apartar a algazarra entre duas crianças, o motorista teria pego o menino pela mão e o colocado sentado sobre a proteção do motor, na parte frontal do ônibus. Ele ficou de frente para a turma, apoiando as duas mãos em um suporte. O vídeo exibe a criança constrangida e com semblante de choro. Um dos alunos que estava no coletivo se levanta e questiona a atitude do motorista, citando o fato de o garoto ser negro.

— Ele estava brincando com outro menino. Ele poderia ter chamado a atenção, porque o guri ficou bem apavorado. Eu me revoltei e tentei ajudar, mas ele não conseguia nem sair do lugar por medo — relata o estudante.

A situação é atípica e foi analisada na manhã desta quarta-feira pela Secretaria de Educação de Flores da Cunha. Segundo a titular da pasta, Ana Paula Zamboni Weber, o motorista agiu daquela maneira para tentar colocar ordem no comportamento inadequado do estudante. No entanto, a maneira como o profissional agiu, afirma Ana Paula, não condiz com o trabalho educativo feito pela secretaria com os profissionais que trabalham no transporte escolar.

— Infelizmente, o motorista se excedeu naquela situação, e gerou indignação até entre os outros estudantes. Nosso transporte é seguro, há regramento para licitações e existe um trabalho bastante forte com os transportadores. Mas já conversamos com ele, que entendeu que não agiu adequadamente — explica a secretária.

O resultado da exposição da criança no vídeo, gravado na tarde da terça-feira e que até ontem somava 21.910 visualizações, também não traz resultados positivos, entende Ana Paula.

— É um trabalho que precisa ser feito por todos: o transporte escolar precisa dialogar, a família tem de educar o filho para que ele frequente o transporte com respeito, além de todos os alunos manterem um comportamento adequado.

O motorista não será demitido da empresa e, sim, afastado daquela linha, adianta um dos sócios que prefere não se identificar. A empresa Vicente ME, responsável pelo transporte, diz lamentar o episódio e diz que acumula prejuízos diários na estrutura dos ônibus, principalmente naquela linha. Diante da repercussão, o sócio afirma que encaminhará o caso para o setor jurídico da empresa.

Com informações do portal Pioneiro