Uber avança na ideia de carros autônomos e já fecha compra de 24 mil carros deste modelo com a Volvo

A Uber acelera corrida para oferecer serviços de transporte autônomo. A companhia acertou a compra de 24 mil carros da Volvo para compor a sua frota de veículos autoguiados em acordo que pode chegar a US$ 1,4 bilhão, segundo cálculo do Finantial Times.

O modelo escolhido é o XC90, com entregas previstas entre 2019 e 2021. As novas unidades serão adicionais aos 200 utilitários esportivos da marca que já rodam em modo de teste em serviços da Uber nos Estados Unidos.

Com o acordo, a plataforma de transportes e a Volvo aprofundam a parceria anunciada no ano passado, que prevê investimento de US$ 300 milhões para o desenvolvimento de carros autônomos. Os veículos encomendados pela Uber serão customizados com estas tecnologias e ainda com os sensores da marca instalados no teto.

A companhia admitiu que os 24 mil carros encomendados são apenas uma estimativa de quantos veículos a empresa precisará inicialmente para oferecer transporte sem motorista. Tudo depende, no entanto, da evolução legislação de cada região em que a organização atua. O acordo entre as duas empresas não prevê exclusividade, permitindo que tanto a Uber quanto a Volvo firmem outras parcerias similares.

Por enquanto a plataforma de transporte não especifica se pretende promover mudanças em seu modelo de negócio e passar de fornecedora da tecnologia que conecta passageiros e motoristas (ou passageiros e carros no caso dos autônomos) para uma companhia que gerencia a plataforma e ainda uma frota de carros autônomos. A segunda opção é vista como menos provável, já que exigiria investimento maior.

Ainda assim, a Uber parece estar testando os dois modelos de negócio. Ao mesmo tempo em que compra veículos autônomos da Volvo, a empresa firmou parceria com a Daimler para oferecer carros de uma frota da montadora por meio do aplicativo. Esta atuação abre um caminho para as fabricantes de veículos. No futuro, além de produzir e vender automóveis, as montadoras poderão gerenciar frotas para rodar em plataformas de mobilidade.

Com informações do Automotive Business