Essencial: Quase vazia, escola recebe apenas 15% dos alunos após ônibus escolares deixarem de buscar crianças

Estudantes da zona rural de Babaçulândia, a 446 quilômetros de Palmas, ficaram mais de uma semana sem frequentar a escola por falta de transporte escolar. Na Escola Benjamin de Sousa parente, que fica na zona rural, são 98 alunos matriculados, mas desde a última semana menos de 15 têm aparecido nas aulas.

A prefeitura disponibilizava quatro veículos para essa escola, mas apenas um micro-ônibus está funcionando. Dos 32 veículos que atendem todo o município, pelo menos metade ficou fora de circulação por problemas mecânicos ou falta de pagamento.

“O transporte não está trazendo os alunos. Só tem um micro-ônibus aqui na frente e o outro diz que está com defeito. As kombis também não estão puxando por isso a falta de aluno na escola. As crianças moram muito longe, algumas até 30 quilômetros longe da escola, então não tem como eles virem”, explicou a professora Maria Leila de Sousa.

Sem ter como ir estudar os irmãos Ian, Juan e Gabriel passam o dia em casa. “Era hora de estar estudando, só que ao invés de a gente está lá, está aqui brincando […] A gente ficou esperando, mas ele não passou [o ônibus]”, reclamou Gabriel Alves, de 11 anos.

O pai dos meninos disse que o problema é a falta de pagamento para o dono dos veículos. “Já tem maios ou menos três semanas que está acontecendo isso. Os proprietários dos carros estão alegando que não estão recebendo. Quem está sendo prejudicado são os nossos filhos”, lamentou o lavrador Darci Parente.

Para não deixar os filhos sem estudar, o vigia Dimar Gomes está levando e buscando as crianças todos os dias. Ele também dá carona para os vizinhos. “O combustível está caro e para a gente ir todo o dia, eu estou rodando mais de 100 km por semana. São mais de 500 km por mês. Então, vai dar um impacto muito grande no meu salário. Eu ganho um salário mínimo e a gente tem outras despesas, outros compromissos”, reclamou.

Em todo o município são 32 veículos que fazem o transporte escolar de mais de 2 mil alunos. Segundo o secretário de Educação do município, Adriano Filho, metade da frota estava parada.

“As estradas danificaram e os ônibus quebraram. Tivemos também um problema relacionado a repasses estaduais no início do ano, que atrapalhou um pouco nos repasses para os transportes alugados. A amanhã [quinta-feira] acredito que 30 a 40% volta a funcionar e até sexta-feira estamos regularizando tordo o transporte escolar do município”, garantiu.

A Secretaria de Estado da Educação também foi questionada e disse apenas que a situação do transporte escolar foi regularizada e o serviço voltou ao normal.

Com informações do G1