Município cria serviço de ônibus escolar especial para evitar congestionamentos no entorno de grandes escolas

O projeto é fundamental para atingir a meta de descarbonização e para estimular a adoção de outros modos de transporte, pois a mobilidade na zona central da cidade, em horário de pico, está claramente implicada com o acesso às escolas e com os horários das mesmas. Por esse motivo tem de existir um compromisso de todos onde a segurança da criança esteja em primeiro lugar e a prioridade seja dada ao transporte coletivo e à circulação de pedestres”, defende a Câmara Municipal de Braga.

Para isto, o município de Braga, situado em Portugal, está implementando várias medidas com intuito de melhorar a segurança, acessibilidade e mobilidade nas áreas próximas de escolas.

No município já está em funcionamento o ´School Bus´, que, de forma segura, liga as quatro principais entradas de Braga (Av. Robert Smith, Maximinos, Variante do Fojo e Estádio Municipal) às respectivas escolas através de um ônibus especial.

O serviço abrange o Ensino Básico em seis escolas centrais da Cidade: Escola Básica 2, Francisco Sanches, Escola Básica André Soares, Colégio D. Diogo de Sousa, Colégio Leonardo Da Vinci, Colégio Teresiano e Conservatório de Música Calouste Gulbenkian.

Nestas duas semanas de funcionamento, o School Bus tem registado uma adesão bastante satisfatória, com cerca de 200 crianças a serem transportadas diariamente por este serviço até o seu estabelecimento escolar, o que representa uma ´poupança´ superior a uma centena de automóveis no centro da cidade, evitando cerca de duas centenas de deslocamentos. A expectativa do Município é que o número de crianças a utilizar o serviço continue a crescer.

Nos casos em que as crianças são muito pequenas para utilizarem o School Bus e noutros locais esporádicos em que é inevitável o uso do carro, o município está implementando o ´Kiss and Go´, projeto que consiste na reserva de lugares de parada de automóveis destinados unicamente à tomada e largada de crianças.

Esta parada deverá ter a duração máxima de um minuto, para isto as crianças devem ter a capacidade de nesse breve período de tempo sair do automóvel com os seus pertences, sem que o condutor desligue o motor, garantindo a reserva do lugar para o veículo seguinte.

continua após a publicidade


Estes lugares estão devidamente sinalizados e pintados de azul para que surtam maior efeito nos motoristas e seja bem perceptível a sua função, apelando ao cumprimento das regras destes lugares e fazendo com que sejam observados os benefícios a que se destinam. A introdução destes lugares é combinada com a implementação nessas zonas medidas de melhora de tráfego e definição de zonas 30 (velocidade máxima de 30 Km/h).

Para cada cinco lugares demarcados, cumprindo-se o tempo estipulado de um minuto, garante-se o acesso a cerca de 50 automóveis em cada 10 minutos, aumentando o fluxo de trânsito e a segurança rodoviária junto das escolas.

Numa primeira fase, o Kiss and Go está implementado no Largo S. João do Souto, Rua do Taxa, na Avenida Central e na Praceta André Soares, abrangendo o Colégio D. Diogo de Sousa, o Colégio Leonardo Da Vinci, a Escola Carlos Amarante, a Creche de Braga, a Escola EB de S. João do Souto, a Escola EB Francisco Sanches, o Externato Paulo VI, o Colégio D. Pedro V e a Escola Básica André Soares.

De acordo com Miguel Bandeira, vereador da Câmara Municipal de Braga, estes projetos são ´fundamentais´ para se atingir a meta da descarbonização e para estimular a adoção de outros modos de transporte. “A mobilidade na zona consolidada da cidade, em horas de pico, está claramente implicada com o acesso às Escolas e com os horários das mesmas. Por esse motivo tem de existir um compromisso de todos onde a segurança da criança esteja em primeiro lugar e a prioridade seja dada ao transporte público e à circulação de pedestres”, defende.

Já o diretor da Associação da Creche de Braga, José Eduardo Sousa, menciona que o impacto do Kiss and Go é o melhor possível. “Esta é uma ideia que resolveu o acesso à escola por parte dos pais e está funcionando muito bem, disse, opinião que é partilhada pelo diretor do Colégio D. Diogo de Sousa, António Araújo. ““Foi uma belíssima medida porque disciplina o trânsito e aumenta o civismo na entrega dos meninos”.

Os critérios de seleção das escolas para esta primeira fase, relativamente ao School Bus e ao Kiss and Go, foram definidos em função de sua centralidade e na intensidade com que afetam o tráfego no seu entorno.

Relembre-se que o School Bus é um dos projetos inseridos no BUIL – Laboratórios Urbanos para a Descarbonização, financiado pelo Fundo Ambiental. Já o Kiss and Go nasce de um conceito internacional adoptado por várias cidades com impacto positivo.

Com informações do Semanário de Portugal