Motoristas do Ligado fazem novo protesto em São Paulo

O grupo que faz o transporte escolar de crianças com mobilidade reduzida para o Estado pede a volta às aulas e o pagamento de metade do valor mensal previsto em contrato.

Motoristas do Serviço Especial LIGADO, responsável pelo transporte escolar de crianças com mobilidade reduzida em São Paulo, realizou nova manifestação na Avenida Sargento Mario Kozel Filho, no Paraíso, zona sul de São Paulo, na manhã de terça-feira (15) na frente da Alesp.

Os manifestantes reivindicam o recebimento de metade do valor mensal previsto em contrato enquanto as aulas estiverem suspensas e, quando forem retomadas, a compensação do salário repassado durante a paralisação.

Como alternativa, os motoristas também propõem colocar os veículos à disposição do governo estadual para, por exemplo, fazer o transporte de funcionários da saúde. Os motoristas também pedem a volta às aulas. Até o final do dia o ato ocorreu de forma pacífica, sem confusões ou confrontos.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), as vans estavam estacionadas e não interferiram na circulação de veículos. Não houve interdição na via.

O Serviço “Ligado” consiste na prestação de serviços de transporte a passageiros com deficiência física ou mobilidade reduzida, que estudem na rede regular de ensino ou em instituições conveniadas. Os veículos são operados por operadores autônomos, que são pagos pela Secretaria de Educação do estado de São Paulo, que possui uma parceria com a EMTU. Eles já haviam realizado um protesto também na ALESP nos dia 20 e 25 de agosto.

Com informações do R7