Vereador e deputado do PSOL ingressam na Justiça contra reabertura de escolas em São Paulo

A decisão do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), de seguir orientação do governador João Doria (PSDB), para liberar a reabertura de escolas no dia 1 de fevereiro, causou reações contrárias. A medida foi tomada apesar do avanço da pandemia do coronavírus.

O vereador Celso Giannazi (PSOL) e o deputado Carlos Giannazi (PSOL) protocolaram uma ação popular contra a prefeitura e o governo de São Paulo, de acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

Ambos pedem que a Justiça suspenda a decisão dos Executivos municipal e estadual de permitir o retorno das aulas presenciais em escolas da capital paulista.

“O prefeito (Bruno Covas) diz que ficará a critério dos pais (a ida às aulas). Mas a presença de todos os profissionais da educação, além dos trabalhadores da cozinha e limpeza, será obrigatória. Isso movimenta milhares de pessoas”, argumenta o vereador.

Com informações da Folha de S.Paulo