Tá tudo um carnaval, mas feriado terá aulas normais na rede estadual e escolas municipais de SP também começam em 15/fev

Mesmo com deflagração de greve por parte dos professores da rede municipal de São Paulo desde o dia 10 de fevereiro, e com alguns em estado de greve desde o dia 8 quando retornaram as aulas da rede estadual, as gestões estadual e municipal mantém aulas normais previstas durante o suspenso feriado de Carnaval que ocorreria nos dias 15 e 16.

Na próxima semana, os alunos da rede estadual seguem a rotina da volta às aulas de segunda a sexta-feira de forma remota, pelo Centro de Mídias de São Paulo, ou presencial, com no máximo 35% dos alunos matriculados e revezamento dos estudantes, seguindo todos os protocolos. Isso porque não haverá ponto facultativo no Carnaval de 2021.

“No Centro de Mídias o aluno vai encontrar três aulas por dia de todos os componentes curriculares, ele pode interagir com o professor por vídeo ou mensagem. Para semana que vem teremos muitos conteúdos importantes que vão trabalhar temas como acolhimento, protocolos sanitários, uso de tecnologia e as habilidades previstas no currículo”, afirma Bruna Waitman, coordenadora do CMSP.

A suspensão do ponto facultativo no Carnaval já havia sido anunciada pelo governador João Doria em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. A medida visa evitar que sejam feitas aglomerações nas datas que possam agravar situação da pandemia. Desta forma as escolas incluíram os dias 15, 16 e 17 no planejamento e cronograma para o ano letivo.

As aulas na rede estadual retornaram do dia 8 de fevereiro e cada unidade definiu a maneira que realizará o rodízio de alunos e suas atividades presenciais e remotas. A carga horária também poderá ser adaptada para o cumprimento das normas. Por isso é importante que pais, responsáveis ou alunos maiores de 18 anos entrem em contato com a sua escola para saber os dias e horários em que poderão ir presencialmente na unidade.

Na rede municipal, o início das aulas presenciais regulares está previsto para o dia 15, sendo o retorno presencial facultativo aos estudantes. Os que optarem pelo ensino remoto deverão realizar obrigatoriamente as atividades na plataforma Google Classroom ou em outros meios disponibilizados – inclusive material impresso a ser retirado pelos responsáveis, conforme organização da UE.

Segundo informações da prefeitura de São Paulo, de um total de 500 mil pais que responderam à pesquisa sobre o retorno das aulas presenciais, 66% deles disseram sim ao retorno das aulas presenciais nas escolas do município.

Também está previsto para a segunda-feira (15) o retorno ao trabalho dos transportadores escolares do Vai-e-Volta (TEG – Transporte Escolar Gratuito), que estavam sem transportar as crianças desde março do ano passado, e que agora voltam a atender com quantidade reduzida, de acordo com a organização diária das crianças feita por cada escola.

Segundo informações divulgadas pelo governo do Estado, a adesão dos professores à greve nas escolas estaduais desde o início das aulas em 8/fev tem sido pequena, e não tem comprometido a retomada das aulas presenciais, resta verificar agora como se comportarão os professores da rede municipal à partir de segunda-feira.

Por Antonio Félix
Com informações dos portais do Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura de São Paulo