Temor dos pais faz com que escolas públicas tenham menor adesão à volta presencial do que particulares

Enquanto a rede privada vem recebendo até 100% dos alunos em sistema de rodízio, na rede rede estadual e municipal de São Paulo o retorno é de 17% a 30% no máximo.

Apenas 17% do total de 3,5 milhões de estudantes das escolas estaduais voltaram à sala de aula na primeira semana do ano letivo.

Na cidade de São Paulo, considerando apenas as escolas municipais, a prefeitura estima que 300 mil alunos de um total de 1 milhão (30%) frequentaram as aulas presenciais ao menos um dia na primeira semana do ano letivo.

Em escolas da rede particular esses números são bem diferentes, em consulta feita pela Folha de São Paulo, os diretores afirmaram ter obtido uma adesão entre 70% e 100% do total de alunos.

Para cumprir o decreto municipal que permite a volta de apenas 35% do total de alunos, as escolas particulares organizaram um revezamento das turmas para que todas as crianças interessadas pudessem comparecer pelo menos em um dia da semana.

Nas escolas públicas municipais, a falta de confiança dos pais tem feito com que recebam menos alunos do que o planejado, pois não acreditam que os protocolos de higiene e distanciamento estejam sendo seguidos.

Em algumas delas, para atingir pelo menos 27% de retorno dos alunos, a direção chamou os pais em pequenos grupos e mostrou as adaptações e reformas que foram feitas para garantir o cumprimento dos protocolos de segurança, e até mesmo visitou a casa dos pais que não quiseram comparecer.

Com informações da Folha de S.Paulo