Tribunal de Contas vai investigar contrato de vans escolares para transportar mortos em SP

O Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM) determinou a abertura de uma auditoria para verificar suspeitas de irregularidades em um contrato emergencial firmado pela prefeitura da capital paulista com uma construtora e prestadora de serviços, que por meio de subcontratação, alugou 50 vans escolares para transportar corpos de mortos pela Covid-19.

O contrato, de R$ 1,7 milhão, foi feito pela Secretaria Municipal de Suprefeituras, sem licitação, com a empresa Era Técnica Engenharia e Construções e Serviços Ltda para que esta viabilizasse a contratação de 50 carros particulares que serão adaptados para o Serviço Funerário.

A empresa fez uma parceria e locou para esse serviço 50 vans escolares que, com a pandemia, estavam paradas por conta da suspensão das aulas presenciais, e seriam adaptadas para realizarem o serviço. Os carros devem ser minivan ou furgão, com altura de até 2,51m, segundo prevê o contrato.

Em nota, a Prefeitura informou que “cumpriu a legislação vigente no processo de contratação de fornecimento de mão de obra com veículos para o Serviço Funerário Municipal”. “Vale destacar que todos os contratos são auditados e fiscalizados pelo TCM. O caso não é uma excepcionalidade, e os esclarecimentos já foram prestados por essa secretaria ao Tribunal de Contas do Município”, disse a gestão municipal.

Com informações do G1