Profissão de motorista profissional está em alta nos Estados Unidos, com alta remuneração e ofertas de vagas

A falta de motoristas profissionais nos Estados Unidos e em outros países mais desenvolvidos não é uma notícia nova. Estima-se que, apenas nos Estados Unidos, são necessários cerca de 65 mil caminhoneiros somente para preencher as vagas existentes. Porém, após os efeitos da pandemia do coronavírus serem atenuados e a economia voltar a crescer, esse problema se acentuou, principalmente no transporte de itens alimentícios.

As informações foram publicadas recentemente pelo jornal norte-americano New York Post, que diz que algumas empresas já criaram divisões de “aluguel” de caminhoneiros. Esse tipo de empresa fornece mão de obra temporária, principalmente para grandes redes varejistas, garantindo aos motoristas salários melhores do que receberiam se trabalhassem diretamente para a empresa.

Como a maioria desses caminhoneiros trabalham fora do seu estado de origem, as empresas pagam até bons hotéis para eles ficarem no período em que estão trabalhando para elas.

“Nunca em nossos sonhos mais loucos imaginamos que faríamos isso – colocar pessoas em hotéis para trabalhar para nós”, disse Christopher Pappas, executivo-chefe da Chefs’ Warehouse, uma fornecedora de alimentos para restaurantes e hotéis.

A Chefs’ Warehouse recorreu à empresa Regional Supplemental Services, que, por sua vez, contratou motoristas de caminhão do Alabama para trabalharem na região de Nova York.

O salário pago é de US$ 20 por hora, e os caminhoneiros chegam a trabalhar até 12 horas diariamente, podendo receber salários na casa dos US$ 3 mil por semana.

O dono da empresa de recrutamento de caminhoneiros Regional Supplemental Services, disse que o telefone dele não para. Todos os dias, ele recebe ligações de algumas das 500 maiores empresas dos Estados Unidos, pedindo motoristas urgentemente, principalmente para o transporte de itens perecíveis. A indústria de alimentos é a que mais tem enfrentado a escassez de motoristas, já que os caminhoneiros, além da longa jornada e tempo fora de casa, muitas vezes precisam descarregar os veículos.

“Nunca vi motoristas receberem o que recebem hoje. Eles estão chegando aos US$ 100 mil por ano, e podem facilmente ganhar US$ 3.000 por semana. Uma carteira de motorista profissional vale ouro agora” disse Rich Jennings, dono da RSS.

Sistemas de emprego online oferecem vagas com salários de US$ 2 mil por semana, alguns muito acima disso, além de um bônus de contratação. Uma empresa, por exemplo, oferecia US$ 15 mil de bônus para motoristas com experiência e sem histórico de acidentes, pagos no ato da contratação. Nesses casos, geralmente o contrato mínimo é de um ano.

Com informações do Blog do Caminhoneiro