Estudo aponta que chance de crianças pegarem Covid-19 em veículo escolar é pequena, mesmo com lotação total

Os veículos escolares apresentam pouco risco de espalhar a Covid-19, mesmo que estejam completamente cheios, apontou um estudo feito nos Estados Unidos com mais de mil estudantes em uma escola da Virgínia publicado nesta semana.

Ao todo, dos 15 ônibus que foram lotados para a pesquisa, houve apenas 39 casos de Covid-19, incluindo dois funcionários, durante o período de sete meses. Os pesquisadores concluíram, entretanto, que a transmissão não estava relacionada ao transporte, afirmando que os ônibus escolares podem operar com segurança em sua capacidade normal, mesmo com alta taxa de transmissão de Covid.

No entanto, vale destacar que todos os alunos foram solicitados a usar máscara quando estivessem no ônibus e as janelas tiveram de ser mantidas abertas para permitir a ventilação. Segundo uma orientação do Departamento de Educação desta semana, crianças com 11 anos ou mais devem usar máscaras, mas o distanciamento social não é mais necessário em transportes para a escola.

“A pandemia tornou muito difícil para as escolas públicas atender às necessidades de transporte dos alunos. Muitos lugares não têm ônibus e motoristas suficientes para permitir o distanciamento ou pular as fileiras do ônibus, ao mesmo tempo em que oferece transporte a todas as crianças. Com mais alunos voltando para o ensino presencial, o transporte seguro para a escola é uma questão de equidade, já que muitas famílias não podem levar seus filhos para a escola todos os dias”, explicou Dra. Dana Ramirez, especialista em medicina de emergência.

Com informações da Revista Crescer