Prefeitura de SP vai contratar mães para levar alunos de volta à escola

Cerca de 30% dos estudantes da rede municipal não entregaram nenhuma ou somente partes das atividades escolares durante a pandemia em 2020. Para contornar o problema neste ano, a Prefeitura de São Paulo vai contratar 70 mães para visitar as casas de alunos que estão ausentes das aulas, mesmo no formato on-line, ou em risco de abandono.

A “busca ativa”, desenvolvida em parceria com o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), integra as ações de combate à evasão escolar da Prefeitura anunciadas em entrevista coletiva nesta sexta-feira, 3, em São Paulo.

O poder municipal vai utilizar uma plataforma do Unicef com as informações de acompanhamento de crianças e adolescentes que estejam em risco de ficar fora da escola. Os dados fazem parte dos cadastros das secretarias de Educação, Saúde e Assistência e Desenvolvimento Social.

As crianças em risco de abandono receberão as visitas das mães, contratadas a partir do cadastro do Programa de Operação Trabalho (POT), voltado às famílias de baixa renda. Dados da Secretaria de Educação indicam cerca de 1 milhão de estudantes da rede municipal. Do total, cerca de 570 mil estão em situação de pobreza ou extrema pobreza.

Questionado sobre a implantação do programa no segundo semestre do ano letivo, o secretário Fernando Padula afirmou que as medidas estão se somando. “A preocupação com a evasão não começou agora. Estamos aprimorando. Estamos trabalhando em rede. É um aprimoramento de uma ação que sempre foi uma preocupação”, afirmou.

O programa também possui uma parceira com o Instituto Liberta para combater a exploração sexual, um dos motivos que podem provocar a evasão escolar. A parceria prevê o treinamento dos profissionais da Educação e a distribuição de materiais de campanhas de conscientização na rede municipal de ensino.

Com informações do Estadão