Falta de condutor escolar nos EUA faz guarda nacional ser convocada para fazer o transporte escolar

A volta às aulas presenciais no estado do Massachusetts, nos EUA, revelou uma crise inesperada como mais uma consequência direta da pandemia: o número de motoristas de ônibus disponíveis para transportar os alunos até a escola e depois de volta para casa sofreu uma queda drástica.

Com um número consideravelmente menor de profissionais para realizar o serviço de transporte, rapidamente tornou-se claro que tal quadro impactaria diretamente na pontualidade e até mesmo na presença dos alunos em sala e, assim, no próprio desenrolar das aulas e no desempenho tanto dos alunos quanto dos professores.

Para além do apontamento no estado do Massachusetts, a verdade é que a crise vem ocorrendo em todo o país. Os motivos são tão variados quanto evidentes:, com a mudança para as aulas remotas, muitos motoristas decidiram procurar outros trabalhos, enquanto os que permaneceram agora não se sentem seguros para dirigir diariamente um ônibus repleto de crianças que não foram vacinadas contra a especialmente contagiosa variante Delta do novo coronavírus.

Vale lembrar que uma parte considerável de tais profissionais atua como motorista após ter se aposentado de outros trabalhos, o que os coloca como grupo de risco no ainda alarmante e perigoso quadro da pandemia nos país e no mundo. Assim, escolas em diversos estados dos EUA se viram na situação de ter de rapidamente contornar tal crise: para isso, aumentos e benefícios foram anunciados em verdadeiras campanhas publicitárias para convocar possíveis interessados no trabalho.

Em Massachusetts, o governador Charlie Baker decidiu ir além, e tratar a situação como uma verdadeira emergência pública: para garantir que as crianças da região chegassem com segurança e na hora certa tanto nas salas de aula quanto de volta para casa ao fim do dia, foi convocada a Guarda Nacional para manter os ônibus circulando.

“O transporte seguro e confiável às escolas diariamente é fundamental para a segurança e a educação de nossas crianças”, escreveu o governador do estado em suas redes sociais. Serão 250 membros da guarda que passarão a tomar conta do transporte dos alunos e alunas nas mais variadas rotas do estado, em situação que será mantida até que os profissionais retomem seus cargos ou novos motoristas sejam contratados.

Com informações do Hypeness