Pais recorrem ao MP para que crianças não sejam transportadas junto com adultos desconhecidos em Cruzeiro do Sul

O transporte escolar de alunos a partir dos 5 anos foi integrado com a linha de ônibus urbano a partir desta segunda-feira, em Cruzeiro do Sul, município do Rio Grande do Sul, o que desagrada um grupo de pais das crianças mais novas.

Os estudantes ganham pagas as passagens de ida e volta, enquanto os demais usuários do transporte público podem ingressar no ônibus e pagam normalmente. A preocupação é pelo fato de as crianças estarem no mesmo ônibus com pessoas desconhecidas.

Os pais prometem pedir intervenção do Ministério Público (MP) e vão abrir protocolo na prefeitura para retomar o transporte da forma tradicional. Também se programam para participar da sessão da Câmara de Vereadores nesta quarta-feira para iniciar debate.

Cristiane Schmidt, mãe de um aluno de 7 anos, está entre os pais que se mobilizam por meio de redes sociais. “Sempre orientei meu filho a não falar com estranhos, mas é uma criança inocente, que com as palavras certas pode ser manipulado com facilidade, como qualquer criança”.

Ela conta que várias crianças com 5 e 6 anos estão na mesma situação, e afirma que a maioria dos pais depende do transporte escolar, pois trabalham nos horários em que seus filhos precisam ir ou voltar da escola. “Eu sempre levo meu filho para escola, mas para voltar não tenho como pegar, porque os horários não fecham”.

Responsável pelo transporte escolar de Cruzeiro do Sul, Alexandre Mallmann diz que a Administração está aberta para receber os pais e dialogar. A empresa prestadora de serviços é de Lajeado, e utiliza cinco veículos para realizar os 12 trajetos.

Com informações do Agora no Vale