Motoristas do transporte escolar de SP se reúnem com a prefeitura e pedem mudanças nos contratos de serviço do TEG

O programa de Transporte Escolar Gratuito (TEG) da capital paulista leva crianças de 4 a 12 anos para as escolas da cidade. Os trabalhadores do setor querem a extensão dos contratos de 5 para 10 anos e mudanças na forma de remuneração.

Cerca de 600 trabalhadores do transporte escolar da cidade de São Paulo se reuniram na manhã deste sábado (9) com representantes da prefeitura para solicitar mudanças em algumas regras estabelecidas no programa de Transporte Escolar Gratuito (TEG) da capital paulista.

O TEG leva crianças de 4 a 12 anos para a escola. Entre as reivindicações, os trabalhadores querem a extensão dos contratos de 5 para 10 anos.

Os trabalhadores do setor pedem, ainda, a remuneração fixa por veículo e não por criança, como é hoje em dia e que o transporte seja oferecido para alunos que morem a mais de 1 quilômetro e meio de distância da escola, e não a partir de 2km como atualmente.

Um novo encontro entre os motoristas do TEG e representantes da prefeitura está previsto para esta semana.

Com informações do G1