Governo discute novas medidas para reduzir preço do diesel, mas impacto no preço será pequeno

Pela matemática do ministério da economia, com as iniciativas para diminuir tributos, o litro do diesel pode cair, em média, de R$ 7,68 para R$ 7,55.

De olho nas eleições, o governo federal discute medidas para uma redução adicional nos preços do diesel e do etanol nas bombas, já que a gasolina vem caindo mais do que os dos outros combustíveis, informa o Estadão.

Cálculos do Ministério de Minas e Energia apontam que a prorrogação até o fim de 2023 do prazo para que os distribuidores de combustíveis fósseis comprovem as metas de compra compulsória dos chamados CBios (créditos de descarbonização) terá um impacto de R$ 0,10 no preço médio do diesel. A pasta estima que, com a redução de encargos, o preço do litro do combustível pode recuar, em média, de R$ 7,68 para R$ 7,55

“Como o potencial de queda do diesel é menor do que o da gasolina, o foco do governo tem sido trabalhar em novas medidas para reduzir os valores”, diz a reportagem, que cita que a elevação dos preços dos CBios nas últimas semanas foi um dos entraves identificados pelo Planalto. Esses créditos chegaram a bater em R$ 200 recentemente, ante um preço médio de R$ 40 no ano passado.

O governo pediu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que investigue uma possível infração à ordem econômica praticada nas negociações do ativo. Com isso, o preço caiu para cerca de R$ 160. “Uma das suspeitas é a de que distribuidoras estariam comprando certificados em volume acima da meta em conluio com produtores de etanol para desequilibrar o mercado e forçar as concorrentes a pagar mais pelos créditos”, afirma o jornal.

Já em relação ao etanol, existe a expectativa de um recuo adicional de R$ 0,20 com a entrada em vigor da PEC que aumentou e criou novos auxílios e subsidiou também o preço desse combustível. A proposta, que foi promulgada na semana passada, permite que o Planalto a compense os Estados que concederem créditos de ICMS para produtores e distribuidores de etanol, com custo de R$ 3,8 bilhões até o fim do ano. Neste cenário, o litro do etanol pode cair, em média, de R$ 4,87 para 4,56, segundo a pasta.

Com informações do Estadão